in ,

Porcos vietnamitas continuam à solta no Flecheiro (c/ vídeo)

Na manhã deste domingo, 15 de novembro, uma vara de porcos vietnamitas andava a pastar no relvado do Flecheiro, à beira do rio Nabão, em Tomar.

O cenário já se tornou rotineiro para quem ali vive ou circula. Desde agosto que os animais têm sido vistos na zona. São inofensivos, mas já provocaram estragos no relvado.

Os porcos vietnamitas pertencem a uma família de etnia cigana que vive no Flecheiro.

Imagem captada a 15 de novembro de 2020

Turistas surpreendidos com porcos vietnamitas no Flecheiro (c/ vídeo)

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. mas o vereador cristovao ja entrevistou, e já descansou a população: está tudo tratado.
    Veterinario, ASAE, e tudo o que for necessario.

    • Não ouvi nem li a entrevista do vereador que refere. Em qualquer caso, com ou sem entrevista, é muito pouco provável que a população esteja descansada. “Está tudo tratado”, escreve o sr. João. Que refere a seguir “veterinário, ASAE e tudo o que for necessário”. Ou é sarcasmo falhado, porque não é fácil de entender, ou trata-se simplesmente de tentar enganar os cidadãos.
      Porque a única, mas indispensável e urgente, atitude que se pede à Câmara é o respeito pela LEI. E essa, que se saiba, ainda não foi alterada e proibe a criação ou posse de suinos vivos fora das suiniculturas detentoras de alvarás de funcionamento.
      No caso em apreço estamos portanto perante mais uma posiçãp bacoca da autarquia, que poupa os prevaricadores para tentar obter os seus votos na altura devida. Devem pensar, os srs. autarcas que temos, que se hostilizarem os ciganos, eles podem ir-se embora.
      E fazem cá tanta falta, coitadinhos! Tanto os calés como estes autarcas.

      • Fazem falta cá??? Onde? Em Tomar ou no Ceará. A propósito ó senhor xico: você também frequenta a transamazónica?

  2. É o grande problema dos néscios. Não se dão conta.
    Agora esta confunde uma frase de sentido irónico com um período declarativo.
    E mistura ciganos e porcos vietnamitas a viver no Flecheiro-Portugal, com o estado brasileiro do Ceará e a transamazónica.
    Conheço loucos mais coerentes e palermas mais atentos.

  3. Eu acredito que o processo não funcione assim… Estás situações tem de passar pelo sepna da GNR. Tem de ser reportadas, encaminhado depois para os serviços veterinário da câmara municipal de Tomar, que tem que notificar os eventuais proprietários e os proprietários têm de resolver a situação conforme indicação pela Dra veterinário. Digo eu…?!?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Covid-19: sócia-gerente do lar de Vila Nova garante estar a cumprir medidas preventivas

Isto com umas animações de rua resolve-se