in ,

Ministério Público diz que revisor quis ofender a honra da modelo tomarense

Já é conhecida a decisão do Ministério Público quanto ao caso que envolveu Sara Sequeira, modelo “Plus Size” de Tomar, e um revisor da CP, em setembro de 2020, durante uma viagem de comboio entre Carrascal e Tomar.

Segundo o Jornal de Notícias, o Ministério Público considera que o revisor, ao proferir expressões “suscetíveis de serem ouvidas por terceiros” durante a viagem, atuou com o propósito “claro” de tentar ofender a passageira, fazendo-a sentir-se humilhada.

O homem terá dito à jovem modelo de 28 anos: “Ainda bem que não está frio ou as mamocas constipavam-se”, isto porque usava um vestido com um decote pronunciado.

“O que se verificou aqui foi uma inequívoca e censurável intenção de ofender a honra e consideração da vítima”, lê-se no despacho citado pelo JN.

No entanto, a acusação de assédio sexual não foi aceite pelo MP uma vez que não foi formulada qualquer proposta de teor sexual “em momento algum da conversação”, embora admita que tais atos comunicativos possam integrar outros crimes, como o de injúria.

Sara Sequeira ainda não comentou esta decisão.

 

Notícia do JN:

MP diz que revisor da CP não importunou sexualmente passageira assediada mas admite ofensas

 

Modelo tomarense acusa revisor de assédio sexual

A história repete-se: modelo assediada em direto em Tomar (c/ vídeo)

Jovem assediada no ramal de Tomar em entrevista à CMTV

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. As medidas aplicadas pelo Ministério Público foram demasiado brandas. Assim como esse revisor da CP, há muitos Homens casados por aí e bem posicionados na sociedade que vêem as Mulheres como um ser descartável e de uso para quando querem. Triste mentalidade retrógrada. É preciso mais Mulheres a denunciar tais episódios e outros.

    • Meus caros senhores: os decotes como dizem, se a pessoa se sente bem em os usar tem de ser igualmente respeitada, preocupante, é a mentalidade tarada de alguns Homens que só pensam numa coisa. Tristes, muito tristes. É preciso mais Mulheres a denunciar abusos, comentários ordinários etc para colocar estes homens na linha, ou a bem ou a mal. E não com intenção de ganhar algum valor monetário com isso, os valores e dignidade não se compram…

  2. Essas senhoras com os decotes fazem de propósito para provocar, a fim que haja alguém com algum tipo de comentário e o acusar de assédio sexual a ver se ganham alguma coisa na justiça, porque mais que isso não têm cérebro para mais.

  3. Engana-se!
    Nós somos livres de vestir aquilo que bem nos apetece, porque felizmente temos liberdade para isso e não é para provocar ninguém é porque nos sentidos bem com o nosso corpo e não temos vergonha de vestir seja o que for.
    As pessoas só tem que respeitar e terminar com esses comentários sexistas que não levam ninguém a nenhum lado!
    Esse senhor se fez esse comentário inapropriado devia era estar caladinho e pensar que, se tivesse filha ou mulher se gostava que lhe fizessem o mesmo, se houvesse mais respeito no mundo, tudo era mais fácil.
    E que eu saiba a roupa não define o cérebro de ninguém, peço desculpa mas se o senhor não tem literacia suficiente deveria aprender um pouco mais sobre inteligência humana e sofre os príncipios de uma democracia!

    • Absolutamente de acordo cara Filipa Cruz. É isso mesmo! As Mulheres não são “coisas”. A lei tem de ser mais dura. Tenho conhecimento de vários casos de Stalking e Ciberstalking que chegaram à justiça e foram denunciados e foram tomadas medidas. Há que denunciar sem medo. As vítimas podem requerer proteção em determinados casos. Esses Homens tarados que andam por aí a “cobiçar” as Mulheres sejam elas casadas, união de facto ou seja o que for, tem de entender que há limites tanto no olhar como naquilo que se diz e faz. Mulheres, não se calem, Denunciem!!

  4. Quanto mais do corpo uma mulher expõem voluntariamente, publicamente, pior é ela espiritualmente. Isto é assim sempre, sem excepções.
    Homens de verdade afastar-se-ão com horror de tais seres inferiores, os outros tentam-se aproveitar dos farrapos em que se tornaram tais pseudo mulheres.

    Por isso, sim, as mulheres nesta sociedade podem vestir-se como quiserem, mas arriscam-se a ouvir o que não gostam ou até bem pior, mesmo que isso seja algum crime… pois também é um crime espiritual deixar de ligar ao senso de pudor e as mulheres também não querem saber, com óbvio prejuízo que sentem e que se vê logo tanto pela falta de consideração dos homens como até por vezes de outras mulheres… pois o que não se valoriza verdadeiramente não merece ser valorizado.

    As porquichonas unem-se: mas todas unidas serão vencidas por uma forma maior que elas, à qual nada podem opor, que as dizimará para todos o sempre, ainda falta algum tempo para que os acontecimento naturais livrem a Terra de tais seres imprestáveis mas felizmente a sucessão de acontecimentos que levará a tal desfecho já começou há várias décadas e mais algum tempo e estará concluído. Depois todos só terão vergonha e talvez raiva de tais seres miseráveis que tanto prejudicaram os demais, tanto homens como mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Derrapagem nos prazos das três principais obras camarárias

Covid-19 em Tomar: mais 171 casos em 15 dias