in

Turismo e vigarices

Opinião

Já se desconfiava. Mas é sempre bom sentir-se em boa companhia. Com o extraordinário incremento do turismo estrangeiro em Portugal, surgiram, como sempre, os oportunistas de toda a ordem. À cabeça, e a todos os níveis, os políticos instalados, tentando convencer o pagode que o aumento de visitantes estrangeiros se deve à ação do governo e dos seus variadíssimos organismos, cuja principal função é consumir recursos públicos, que tanta falta fazem noutros setores.
Nessa onda de promoção, surgiram as organizações especializadas na concessão de prémios para tudo e para todos. Os tomarenses atentos já sabem como é. Até os defuntos SMAS pagaram e receberam dois prémios de qualidade, pouco tempo antes de serem condenados ao desaparecimento pela realidade dos fatos.
Na área do turismo, o chorudo negócio dos prémios, alimentado entre outros pela secretária de estado Ana Mendes Godinho, acaba de alcançar o inimaginável num país normal -o patamar do ridículo.
No país que somos, a comunicação social às ordens, porque dependente de subsídios e de publicidade, nada disse. Mas o espanhol EL PAIS não esteve para meias tintas. Pela pena do seu correspondente em Lisboa, Javier Martin del Barrio, escreveu tudo. Sobretudo o que não convinha.
Quem possa e queira ler toda a soborosa prosa de nuestro hermanopode clicar aqui. Para todos aqueles -que julgo serem a maioria- um bocado arredados del castellano tal y como se escribe, eis os excertos mais significativos:
“O aeroporto de Lisboa eleito o melhor e o pior aeroporto do Mundo”
“A chuva de prémios turísticos que têm caído sobre a capital portuguesa são por vezes ridículos (e suspeitos)”
“Não há semana sem prémio para Lisboa. Ao melhor hotel com estrelas, ao melhor hotel sem estrelas, a restaurantes, a monumentos e museus, à simpatia, à arquitetura, à inovação, à antiguidade e até às estradas. … …
…”Com os bairros e as ruas principais a rebentar pelas costuras, era capaz de ser boa ideia o Turismo de Lisboa começar a travar os seus ímpetos, sob pena de cair no ridículo. Ainda que, quiçá, já se tenha chegado a esse ponto.”
“Na semana passada, o aeroporto de Lisboa recebeu duas distinções antagónicas -a de melhor aeroporto do Mundo e a de pior aeroporto do Mundo.
Aquela foi atribuída pela Air Transport News, uma organização liderada por quadros ligados à UE. Esta, a de pior aeroporto do Mundo, resulta da análise de milhares de inquéritos a passageiros, pela AirHelp.
Como escreve o jornalista espanhol, residente em Lisboa e frequente utilizador do aeroporto Humberto Delgado, se o dinheiro não tem cheiro nem vergonha, os membros dos juris que atribuem alguns prémios deviam pelo menos ter vergonha.
Qual a relação de tudo isto com Tomar? Nenhuma, claro. Embora os senhores eleitos locais vão dizendo por aí à boca cheia que o aumento do turismo na nossa região resulta da decidida ação camarária. E da promoção feita na diversas feiras da especialidade. Está-se mesmo a ver, não está?
Mas os leitores  ficam prevenidos, graças a este excelente texto do periodista espanhol: Se a Festa dos Tabuleiros vier a ser considerada a melhor do Mundo, ou coisa parecida, já se sabe que será um prémio comprado.
                                                         Samuel Martins Costa

Escrita por Redação

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

A saída das Coroas em imagens

Tomar e Tabuleiros em tecido