CulturaDestaque

Câmara dá 90 mil euros ao festival Bons Sons

A câmara de Tomar vai atribuir um subsídio de 90 mil euros ao festival Bons Sons, que se realiza de 12 a 15 de agosto, na aldeia de Cem Soldos.

Trata-se de uma organização anual do Sport Club Operário de Cem Soldos, que há dois anos não se realiza devido à pandemia.

O apoio, superior em 10 mil euros ao que foi atribuído em 2019, vai ser aprovado na reunião da câmara de Tomar do dia 13.

Apesar de não se ter realizado em 2020, o festival recebeu um subsídio extraordinário da câmara no valor de 40 mil euros.

Câmara dá 40 mil euros a festival Bons Sons que não se realizou

10 comentários

  1. Município de Tomar está rico e abastado em dinheiro….
    E lá continuamos nós com as festas à conta do contribuinte….
    Como não haveríamos de pagar impostos altos, assim a gastar nunca os impostos irão baixar….

  2. Não está em causa a categoria da festa ou a honestidade dos seus promotores. Ainda assim, cabe perguntar: Quase dois euros e meio por habitante do concelho, para uma festa de aldeia, com entradas pagas e bem pagas, não será exagerado? É a promoção da cultura de estado, como na falecida União soviética? No estado em que estamos?

  3. Quais serão os argumentos que sustentam o vôo destes 90 mil euros até Cem Soldos?
    Um festival com merito, é certo, mas pago, e gozado apenas, por quem lá quer ir.
    Eu, não quero. E pago, porquê?
    Porque paga a Câmara este montante?
    Quem apresentou a proposta, e com que fundamento?
    Ou é para amigos?

  4. Pois é RP. “Houveram compromissos”, mas no seu tempo de escola, se não erro, houveram professores para ensinar que nesta construção frásica o verbo HAVER é impessoal e por conseguinte sempre na terceira pessoa do singular: HOUVE compromissos e HOUVE professores.
    Não custa assim tanto usar português básico. Ou custa mesmo?

  5. O caso já tem uns anos, mas a situação mantém-se. Uma doente ADSE internada no Hospital de Tomar ia ser transferida para os HUC de Coimbra e a família pediu uma ambulância ao bombeiros de Tomar. Informaram estes que não tinham nenhuma ambulância em condições mecânicas para fazer esse transporte. Recorreu então a família aos bombeiros de Constância, que prontamente enviaram, uma ambulância a Tomar.
    Pouco tempo depois, a mesma câmara PS, que pelos vistos não tinha fundos para manter as ambulâncias dos bombeiros em estado de prontidão imediata, concedeu centenas de milhares de euros de subsídios a festas e outros eventos. É a isto que chamam boa gestão municipal? Andar sempre na caça ao voto, em vez de irem abatendo a dívida municipal, superior a 15 milhões de euros?

  6. RP
    ” As pessoas são mesmo parvinhas, não houve festival, mas houveram compromissos que têm que ser pagos, daa.”

    Se houve compromissos, a Associação de Cem soldos responsável pelos Bons sons é que tem de os pagar.

    A Câmara usa dinheiro fruto dos impostos de todos os contribuintes. Esse dinheiro não pode servir para pagar as festas. Quem quer festa que as pague.

    Parvinho talvez seja o senhor ou senhora, que estão sempre à espera da teta do Estado para pagar as festas ondem participam à “borla”….

    O Estado tem outras funções e precisa do dinheiro para cumprir essas funções de forma eficaz…. o Estado não tem que andar a suportar “todas” as festas que pelo país todo se realizam

  7. ( Cont.)

    Conforme disse à uns dias atrás a sra. presidente do município, o principio do utilizador-pagador tem de ser implementado no concelho, seja para o usufruto dos espaços do municipio, como também para as festas que se realizam por todo o concelho.

    Na próxima festa dos tabuleiros em 2023, espero já ver este principio(utilizador-pagador) a ser utilizado…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo