SociedadeDestaque

Suspeito de agredir militar da GNR entregou-se na PJ

- Publicidade -

Continua a dar que falar o caso do militar da GNR que foi brutalmente agredido na face e pescoço, com um copo de vidro partido, à saída da discoteca Rio Bar em Tomar na madrugada de sábado, dia 28.

Segundo o Correio da Manhã, o suspeito entregou-se na Polícia Judiciária de Aveiro, distrito de onde é natural. Trata-se de um homem natural de Cacia, proprietário de uma roulotte na área da alimentação, que vende em feiras e romarias.

Tudo começou quando outro homem, amigo do suspeito, reconheceu uma militar da GNR de Tomar na discoteca e apertou-lhe o pescoço. Outro militar, do posto de Alcanena aproximou-se em seu socorro e aí começaram as agressões.

Já no exterior, o militar da GNR foi atingido na face com golpes com um copo partido, ficando com o rosto desfigurado.

O ferido foi transportado para o hospital de Tomar onde foi suturado com dezenas de pontos.

- Publicidade -

Uma questão que tem suscitado críticas e dúvidas é a ausência da PSP no local. O assunto foi dissecado no programa “Casa Feliz” da SIC, onde Hernâni Carvalho adiantou que a falha foi dos bombeiros que não comunicaram o caso à PSP. Antes dos comentários em estúdio, foi feito um direto de Tomar.

O Comando Distrital da Polícia de Segurança Pública de Santarém emitiu um comunicado onde informa que, “contrariamente ao que alguns OCS insistem em publicar, não recebeu qualquer comunicação sobre esta ocorrência na madrugada de sábado passado, nem ao nível local na Esquadra Policial de Tomar, nem no seu Centro de Comando e Controlo (Central de Comunicações) em Santarém. Aliás, só tomou conhecimento após a publicação da notícia no dia de ontem“. Aproveita para desejar ao “camarada da GNR agredido rápida recuperação”.

SIC (c/ vídeo)

GNR agredido: Militar fica desfigurado após ser atacado com copo na cara

 

CMTV e Correio da Manhã (c/ vídeo)

Agressor de militar da GNR que ficou desfigurado entregou-se à PJ

 

Correio da Manhã e CNN destacam agressão a militar da GNR em Tomar

- Publicidade -

1 comentário

  1. A escumalha em Portugal está protegida pela comunicação social.
    Os militares da GNR, sentem na pele a falta de apoio do nosso estado!
    Leis brandas em Portugal, só para os selvagens, se um militar da GNR agir, são logo acusados de violência e brutalidade policial!
    Tenham vergonha, jornalistas de me…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo