in ,

Música alta e barulho não deixam moradores descansar

bairro cigano gnr 973 6306641912242921398 n

Foi mais uma noite quase em branco para os lados da av. Nuno Álvares Pereira e rua António Joaquim Araújo em Tomar. Os moradores da zona sul da cidade queixam-se do barulho e da música em volume alto durante toda a noite o que não deixou os moradores dormir. Já passava das 4 da manhã desta segunda feira, dia 1, quando ainda ecoava o barulho da música vindo do novo bairro camarário junto à GNR.

 

Um dos moradores enviou-nos o seu depoimento:

“Posso dizer que isto é surreal. Como é possível tanto a autarquia como a PSP permitirem este barulho endurecedor? Como é possível? Eu não pertenço a nenhuma minoria talvez não possa fazer este barulho, porque se assim for serei autuado e terei a prontidão da PSP? Pergunto, que raio de polícia é esta? Para além disso qualquer cidadão que viva perto de uma comunidade destas sabe que não vale a pena reclamar. Primeiro porque fazer queixa não resulta, a impunidade é imensa. Em segundo lugar, caso dê a cara sofre as represálias, pela ameaça ou agressão como já aconteceu, ou pelo os danos nas viaturas por exemplo. Até quando? Até quando a impunidade vai reinar? Se eu fizer uma festa, e a PSP for lá que forma eles terão de me dizer que eu tenho de desligar a música quando nestes casos eles não fazem cumprir a lei? E a autarquia? Vai continuar a ser benévola, e permitir estas situações? Que moralidade terá a autarquia para aplicar a lei do ruído aos proprietários das discotecas e bares? Que concelho é este? Onde alguns moradores vivem constantemente em sobressalto pelo extravasar de regalias a uma minoria? Não venham com a história de racismo, xenofobia. Isto é única e exclusivamente um atropelo ao Estado de Direito (se é que ele ainda existe) em Portugal. Uma vergonha!”

Moradores revoltados com barulho no novo bairro

 

Moradores queixam-se do barulho no novo bairro (c/ vídeo)

Escrita por Redação

Blog informativo Tomar na Rede. Notícias sobre Tomar e região envolvente. Informação local e regional.

Comentários

Responder
    • Se os GNR fizerem o seu trabalho e forem profissionais e o mesmo se aplica aos PSP; entao temos um estado de direito …ao inves de uma minoria ter direito a chular o estado que somos todos nós Que Pagamos Impostos.

    • Não é só no local a que a entrevista se refere. Infelizmente, para quem reside perto do Espaço Académico em Tomar na Avenida Ângela Tamagnini, a realidade é idêntica, agravando-se com os aglomerados de jovens que falam e gritam a altas horas da madrugada, arranques com carros, agressões verbais e físicas entre grupos, etc. Tem de haver uma força mais musculada e de intervenção mais assídua e dissuadora.

  1. Que palhaçada… A GNR ainda la vai comer uma febra de um dos porcos k andam a passear pla cidade….

  2. A falta de autoridade , que é logo vista como fascismo, e de educação conotada com a antigamente, dão lugar a esta escumalha , cigana e não só que temos nas camadas novas da nossa sociedade.
    a geração mais instruída de sempre é no fundo uma geração sem valores de respeito, de educação de família que os pais destruturaram..

    Agora aguentem-se !!!

  3. Isto é a câmara que temos e não é só a polícia (mas também) que tem culpa; herdaram um problema na entrada da cidade (mas controlado) ,e criaram várias favelas que fogem ao controlo das autoridades e deixam os cidadãos que trabalham, em sobressalto todos os dias ofendidos verbalmente e fisicamente .Devemos Isto a duas pessoas a’ sr presidente e ao seu vice-presidente.

  4. É altura das pessoas que se sentem incomodadas compreenderem que se estão mal: MUDEM-SE.
    Quem não pode mudar já, insonorize a casa nas áreas onde tal for necessário… caso aleguem não ser possível/ não ter dinheiro: MUDEM-SE.
    Sempre a reclamar, mas que chatos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0
assalt 16299 8585334088655199763 n

Carro assaltado em frente ao cemitério

acid 37220178 1523993491027898105 n

Apelo: procura-se testemunhas