SociedadeDestaque

Limpeza de terrenos na Mata dos Sete Montes. As explicações oficiais

- Publicidade -

Na Mata Nacional dos Sete Montes, em Tomar, espaço da responsabilidade do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), foram realizadas ações de limpeza em algumas zonas que alteraram a imagem e o ambiente natural deste espaço verde.

Para saber quais os objetivos desta limpeza de terrenos e quais os fundamentos técnicos para tal, questionámos o ICNF enviando algumas perguntas.

A seguir transcrevemos essas perguntas e as respostas do ICNF:

 

– Qual o objetivo da limpeza de mato e ervas na Mata Nacional dos Sete Montes?

- Publicidade -

– Quem é a entidade / empresa responsável pelo serviço? Quem a contratou?

– O trabalho tem acompanhamento por biólogos ou outros técnicos especialistas?

– Qual a calendarização / programação dos trabalhos?

– Foram avaliadas as consequências destes trabalhos no ecossistema da Mata?

– Há algum estudo realizado sobre as consequências destes trabalhos de limpeza na fauna da Mata?

– Qual o destino da lenha que está a ser recolhida?

 

As explicações do ICNF:

O objetivo inicial e principal da intervenção na Mata Nacional dos Sete Montes é a redução de risco de incêndio, diminuindo a carga de combustível e a continuidade horizontal e vertical, numa área de mata que não sofria intervenções de maior relevância desde o tornado que afetou parcialmente o espaço, em dezembro de 2010.

No planeamento, foi prevista uma intervenção por manchas, priorizando as áreas com maior carga de combustível e, consequentemente, com maior risco de incêndio. A intervenção teve, ainda, como foco a recuperação do olival.

Como objetivos secundários podem elencar-se:

  • A promoção da conservação da natureza e biodiversidade;
  • A diminuição da competição interespecífico, indispensável à manutenção e crescimento dos povoamentos florestais;
  • A promoção da multifuncionalidade do espaço;
  • A melhoria das condições de visitação.

A entidade responsável pela intervenção é o ICNF, que recorreu à brigada de sapadores florestais da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, em contexto de serviço público, para a execução dos trabalhos. Os trabalhos foram planeados e acompanhados por técnicos do ICNF e foram concluídos a 28 de março de 2024.

Estes trabalhos são continuamente planeados, executados e avaliados de modo a cumprir com os objetivos definidos para aquele espaço.

Não sendo a mata um espaço de produção, foram identificadas e salvaguardadas as espécies autóctones e de maior interesse na sucessão ecológica clímax para o espaço em causa, nomeadamente: várias quercíneas e outras folhosas e arbustos de diferentes espécies, de modo a manter uma ocupação natural com estratos arbóreo e arbustivo diversificado.

As intervenções em causa potenciam o efeito de mosaico que permite o aparecimento de outras espécies de interesses arbustivo e herbáceo que aumentam a biodiversidade e a capacidade de suporte à fauna existente no interior da mata.

São vários os estudos que suportam a gestão de combustível, a criação de mosaicos de vegetação e a ocupação por várias espécies e estratos nas mais-valias para a fauna e flora do espaço rural, sugerindo-se a leitura do Manual de boas práticas de gestão dos espaços florestais na bacia drenante da Albufeira de Castelo de Bode.

A lenha recolhida nos trabalhos de gestão não tem destino comercial.

- Publicidade -

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo