in ,

Câmara descarta responsabilidades no conflito entre empreiteiro e famílias ciganas

Num comunicado emitido na tarde desta terça feira, dia 23, a câmara de Tomar afirma que não autorizou nem deixou de autorizar “qualquer questão concernente a horário de obras em espaço público a decorrer na cidade”. Isto a propósito da polémica entre o empreiteiro das obras na av. Nuno Álvares Pereira e as famílias ciganas acerca do horário de início dos trabalhos.

Os trabalhadores foram intimidados a começarem a laborar apenas às 10 horas por causa do barulho das obras e das máquinas. As tentativas para começarem mais cedo têm sido alvo de protesto por parte das famílias ciganas.

Em relação a este conflito, a câmara limita-se a invocar o que diz a lei do ruído e descarta responsabilidades sobre o problema. “O horário em que decorrem os trabalhos de obra, é de total responsabilidade da empresa que as realiza”, refere a câmara.

Quanto à veracidade da notícia que publicámos, não está em causa e quem não acredita que se dirija ao local da obra entre as 8 e as 10 horas e confirme com os seus próprios olhos o que se está ali a passar. E já agora oiçam os comerciantes e moradores da zona.

Escrita por Redação

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Bens móveis da fábrica de fiação foram leiloados há 20 anos. Onde param?

Ator do grupo de teatro Fatias de Cá premiado em Espanha