in ,

Qual o balanço da primeira metade do mandato autárquico?

O atual executivo camarário de Tomar tomou posse a 21 de outubro de 2017, o que significa que estamos a meio do mandato (quatro anos).

É tempo de balanço, de projeção dos últimos dois anos do mandato e de preparação para as eleições autárquicas de 2021, cuja contagem decrescente está a começar.

Para avaliar a opinião dos tomarenses acerca da gestão autárquica, lançamos um inquérito com apenas uma pergunta:

Escrita por Redação

Comentários

Leave a Reply
  1. Para comecar emprego e tecnologia é zero nao.se ve geravao.de emprego e investidores puxados para Tomar por tal facto a avalição é 100% negativa ou será que só eu tenho.olhos.para ver tal vergonha.
    Nos concelhos ao lado do nosso é só empresas a instalaren-se e nos vivemos do turismo que alegria e até quando isto vai continuar.
    Ha e ja agora obrigado ao Tomar na rede por permitir o desabafo dos incólumes cidadãos onde nao se contemplam os engraxadores do REINO.

  2. Não esqueço o entusiasmante discurso a que assisti, no Cine Teatro, da Presidente então eleita. Esse discurso é um bom parametro para realizar uma avaliação. Sem cuidar de CMTV´s e complexos do genero.
    O titulo de Cidade de Tomar foi então, para relatar a sessão de tomada de posse, “Próximos quatro anos serão de obras e de projetos culturais, nacionais e internacionais”.
    E continuava a Presidente que então tomou posse afirmando que “esses projetos se transformam em projetos económicos” e que, portanto, “são tambem uma via de desenvolvimento que preconizamos para o nosso Concelho, fazer parte de redes de modo a projetar o Concelho no panorama nacional e internacional…”. Etc, etc, etc….
    Chega! Não vale a pena continuar a citar o delirio da Presidente então recem eleita.
    Haja decoro e alguma vergonha.
    Nada há para avaliar, para lá do delirio, ou da euforia decorrente da eleição.
    O que a Câmara tem feito, qualquer repartição publica o poderia fazer. Mas com custos muitissimo mais baixos.

  3. Não esqueço o entusiasmante discurso a que assisti, no Cine Teatro, da Presidente então eleita. Esse discurso é um bom parametro para realizar uma avaliação. Sem cuidar de CMTV´s e complexos do genero.
    O titulo de Cidade de Tomar foi então, para relatar a sessão de tomada de posse, “Próximos quatro anos serão de obras e de projetos culturais, nacionais e internacionais”.
    E continuava a Presidente que então tomou posse afirmando que “esses projetos se transformam em projetos económicos” e que, portanto, “são tambem uma via de desenvolvimento que preconizamos para o nosso Concelho, fazer parte de redes de modo a projetar o Concelho no panorama nacional e internacional…”. Etc, etc, etc….
    Chega! Não vale a pena continuar a citar o delirio da Presidente então recem eleita.
    Haja decoro e alguma vergonha.
    Nada há para avaliar, para lá do delirio, ou da euforia decorrente da eleição.
    O que a Câmara tem feito, qualquer repartição publica o poderia fazer. Mas com custos muitissimo mais baixos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Desaparecimento de José Augusto em destaque na SIC

Mau aspeto