in ,

Propaganda política balofa

Uma análise de Margarida Magalhães

“Tomar é o concelho do Médio Tejo com maior número de testes realizados”, declarou Anabela Freitas, numa entrevista ao semanário Cidade de Tomar, publicada esta semana. Olha a grande coisa!

Os testes para deteção de infetados com a covid-19 só se justificam quando há fundadas suspeitas da existência de um surto epidémico. Não era o caso, como se veio a demonstrar depois. O concelho registou apenas até agora 19 casos da doença.

Entre esses casos houve até um que é muito duvidoso, e cujo paciente faleceu em Leiria, onde de facto residia em casa de familiares. Mas como a sua residência oficial era em Tomar, foi aqui que contou.

Cabe também lembrar que, dos 110 mil euros de testes comprados pela câmara, cujo tipo e qualidade continuam por averiguar, até hoje só dois permitiram identificar outros tantos infetados, num lar privado do concelho. E mesmo assim, veio-se a provar depois que se tratou de resultados falsos ou falseados, sabe-se lá com que intenção.

Tendo igualmente em conta que há por esse país fora dezenas de municípios com mais habitantes, mas menos dinheiro gasto em testes, e mesmo assim menos infetados que Tomar, esta afirmação da senhora presidente torna-se algo ridícula. E só pode demonstrar uma de duas coisas. Ou a senhora pensa que os tomarenses são um pouco limitados da cabeça, e portanto ficam contentes com coisas assim, que afinal até lhes meteram medo. Ou a própria senhora já está um bocadinho baralhada das ideias. Pode acontecer aos melhores, que a vida autárquica é cada vez mais agitada.

Inclino-me mais para a primeira hipótese, uma vez que a afirmação foi feita durante uma entrevista a um dos órgãos locais de informação controlados pelo município, neste caso mediante a compra antecipada de 75 mil euros de publicidade, aos quais suponho que virá a acrescer o IVA de 23%, num total geral de 92.250 euros.

Para propaganda política de fraca qualidade, é muito dinheiro público mal gasto, num concelho com tantas carências.

Mas os leitores do Cidade de Tomar tiveram ainda assim alguma sorte. Escaparam (só desta vez?) à enumeração de outros recordes nabantinos:

1 – Maior quantidade de colectividades do Médio Tejo

2 – Maior volume anual de subsídios às colectividades

3 – Comunidade cigana mais numerosa do Médio Tejo

4 – Maior despesa anual do Médio Tejo para o realojamento de ciganos

5 – Bombeiros mais mal pagos do Médio Tejo

6 – Bombeiros mais mal equipados do Médio Tejo

7 – Água mais cara do Médio Tejo

8 – Parque de estacionamento P1 com as tarifas mais caras do Médio Tejo

9 – Única avenida do Médio Tejo com duas ciclovias

10 – Maior percentagem de funcionários municipais por habitante do médio Tejo

11 -Maior número de engenheiros no DOM- Departamento de Obras Municipais em todo o Médio Tejo. Um total de 11.

Conforme se pode ver, o concelho de Tomar lidera em muitas coisas na comunidade do Médio Tejo a que pertence. Só não sei ainda se é para ficar orgulhosa e contente, ou triste e chorosa. Em Outubro de 2021 logo se vê.

                                                                Margarida Magalhães

 

Comentários

Responder
  1. A bondade da senhora, o seu sentido de solidariedade, a nítida vontade de ajudar e proteger a população, sem qualquer intuito de propaganda ou de compra de votos, tudo isso ficou bem patente logo no início dos testes covid19, comprados com dinheiro dos contribuintes.
    Só os vereadores da maioria PS e outros eleitos apoiantes é que foram testados. Os vereadores PSD ainda hoje estão à espera.
    Está visto e provado: Com amigos como a senhora presidente, não precisamos de inimigos.
    Que Deus lhe dê a dobrar tudo aquilo que ela deseja a quem a critica, ou simplesmente não a apoia.
    Amém

  2. O António Rebelo por mais que vá mudando os pseudónimos, anda a preparar-se muito mal ou a mentir descaradamente. Maior número de ciganos? Toda gente sabe que pelo menos o Entroncamento tem o dobro. Bombeiros mais mal pagos? ganham todos o mesmo é de tabela, deixou foi de haver pagamentos por baixo da mesa. Água mais cara? Pelo menos os seis concelho da TejoAMbiente têm todos a mesma tarifa.
    Ou anda como diz baralhado da cabeça, ou julga como diz que os tomarenses são limitados.

    • Lá vem este a tentar meter ao barulho quem está longe e calado. Ainda por cima procurando aldrabar os leitores.
      Toda a gente sabe que o Entroncamento tem o dobro dos ciganos?! Onde raio foi você pescar semelhante informação? E o Entroncamento também gasta mais que Tomar com os ciganos? Não enfeite a realidade, pode ser?
      Deixou de haver pagamentos por baixo da mesa nos bombeiros de Tomar? Mas então, passaram ou não a ganhar menos que antes? Tem certeza que nos outros concelhos também não há pagamentos por baixo da mesa. É melhor informar-se, em vez de procurar culpar quem não tem nada a ver.
      Os concelhos da Tejo ambiente têm todos a mesma tarifa? E as taxas de saneamento, esgotos e resíduos sólidos, também são as mesmas nos 6 concelhos? Olhe que não. Aproveitando a deixa, já que menciona a Tejo Ambiente, porque será que, dos 6 concelhos, quatro continuam a adiar a adesão efetiva? Preferem continuar mal?
      Concluindo, há na análise 11 pontos concretos. Mesmo atraiçoando a verdade, você só procurou desmentir três: ciganos, bombeiros e água. É fraquito, criatura. Treine-se melhor, que assim não consegue ir muito longe.

    • Entendo a sua posição. Você até se enganou no pseudónimo. Onde está ESCLARECIDO, deve ler-se ESTARRECIDO. Porque é assim que você deve sentir-se, face à crónica da Margarida. Que, sem atacar demasiado, nem usar maus modos, consegue ser um ataque demolidor.
      Mas que outra coisa esperar? Tanto erro, tanta asneira em tão pouco tempo, só pode prefigurar um desastre em Outubro de 2021. Situação que naturalmente preocupa quem já se habituou às mordomias municipais. Mesmo numa terra excessivamente pacata como Tomar.
      Você ainda se recorda dos tempos do Paiva? Eleito com mais do dobro dos votos conseguidos pela agora sua sucessora, o homem fartou-se de fazer asneiras: fechou o parque de campismo, destruiu as bancadas do estádio, acabou com o sistema tradicional de rega do Mouchão, construiu 2 passeios na Estrada do Convento, etc. etc. Mesmo assim, terra de rústicos que fingem ignorar-se, ninguém teve coragem para lhe fazer oposição. Só depois de ele resignar, e ir para Coimbra, é que começaram a chamar-lhe todos os nomes.
      Nestas condições, só posso louvar a coragem da Margarida e de outros comentadores deste blogue, que têm a coragem de pentear textos a arrepiar cabelo, numa terra que gosta pouco disso. Pode ser que assim a senhora do cadeirão se resolva a começar a ouvir aquilo que não gosta, de preferência sem praguejar.
      Oxalá!

    • Após várias leituras atentas, suspeito que este seu vómito pode ter duas origens. A mais provável é um quadro superior da autarquia, daqueles por compadrio, conhecido pelo seu mau feitio, entre outras coisas. A outra é um eleito PS, que me abstenho de mencionar, por não ter a certeza.
      Escrevi “este seu vómito” por que é disso mesmo que se trata. Você vomitou ódio, a pretexto de responder a quem julga que escreveu a análise inicial, que tanto o incomoda.
      Tenha pois a bondade de encarar o esquema que usou, que é de uma indigência confrangedora.
      Começou por acusar determinado cidadão, que sabe muito bem que está ausente e alheio a estas coisas, citando-lhe até o nome. Se você desse a cara e o visado resolvesse processá-lo por calúnia, como é que você se defendia? Acha decente proceder assim?
      Avançou depois, de forma algo atabalhoada com três afirmações que estão por provar, uma vez que não apresentou quaisquer indicações sobre as fontes a consultar para eventual verificação. É reles.
      Concluiu tentando usar dois argumentos da própria crónica contra aquele que o seu ódio cego julga ser o autor da crónica.
      Assim procedendo, permite aos leitores perceber que alguns defensores da senhora presidente, como você por exemplo, são muito pouco recomendáveis, porque em vez de ajudarem só complicam.
      Caso para dizer que, em termos de reputação, foi mais prejudicial o seu escrito que a própria crónica.

  3. Lendo todos os comentários e outros textos ao longo das semanas e dos meses, parece-me evidente que a senhora presidente se enganou nas várias contratações. Em vez de órgãos de informação às ordens, um consultor para uma rota, e ajuste direto para sinalização, por exemplo, teria sido bem mais eficaz contratar um consultor global. Não uma empresa. Alguém capaz de calar as críticas e de fornecer um roteiro robusto até 2021, incluindo um rascunho de programa, pronto a usar até 2025.
    Gente assim não abunda. Só estou a ver uma hipótese, que até já foi “da casa”.
    Custaria um pipa de massa? A qualidade paga-se.
    O melhor é tentar.
    Ou a senhora presidente prefere naufragar vergonhosamente em Outubro 2021 ?

  4. Olhando para a foto da senhora, percebe-se a sua costumeira surdez perante as críticas dos cidadãos/contribuintes do concelho. Além da barreira ideológica, parece haver também uma causa física.
    Aquela inclinação da cabeça para a esquerda, mas que na foto aparece para a direita, exatamente como na política, indica que há por ali cerume mal distribuído nos ouvidos. Mais num e menos noutro. Convirá por isso consultar quanto antes um bom médico ORL, que procederá decerto a uma indispensável lavagem.
    Oxalá tudo corra bem, para o bem de todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Convento de Cristo reabre dia 18 mas com alguns espaços fechados

Câmara anuncia regresso dos produtores de frutas e legumes ao mercado