in ,

Bens alimentares lançados ao lixo

No bairro do Colégio, à saída de Tomar pela estrada de Leiria, foram encontradas várias embalagens de bens alimentares nos contentores do lixo.

Os produtos estavam dentro do prazo e com a embalagem intacta. Tivemos acesso a algumas imagens que retratam a situação.

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. É normal. Muitos nem trabalham e têm acesso a várias ajudas. Passam horas no café, gastam em raspadinha e depois vão pedir à porta da caritas e da segurança social. Resultado é o que vemos.

    • Estes sacos não representam absolutamente nada. Nem que vieram de ajudas e nem que estavam no lixo.
      O mensageiro destas mensagens deverá ser mais rigoroso porque pode prejudicar profundamente um conjunto de pessoas carenciadas.

    • 🙁 🙁 🙁 Andam uns a trabalharem e a fazer descontos para ajudar quem nao precisa e nada quer fazer 🙁

  2. Estes sacos não representam absolutamente nada. Nem que vieram de ajudas e nem que estavam no lixo.
    O mensageiro destas mensagens deverá ser mais rigoroso porque pode prejudicar profundamente um conjunto de pessoas carenciadas.

    • E a Senhora antes de vir escrever aquilo que escreveu, se calhar não perdia nada em inteirar-se das quantidades (Kg) que são disponibilizadas ás pessoas carenciadas para um mês, e que são disponibilizadas pelas entidades que o fazem.
      Portanto é normal deitar fora (por excesso) o que não é consumido, em virtude de quem o dar não ter a mínima noção da realidade das coisas.
      O que já não é normal, é dar-se bens a quem na realidade nada e nunca fez nada para o bem comum, e aqui o primeiro comentário tem razão naquilo que afirma.
      Assim como e de igual forma, algumas das pessoas dessa entidades que fazem a distribuição, levarem para as próprias casa (deles) bens que foram oferecidos (por outros) para quem na realidade passa dificuldades, e não para proveito próprio, e isto passa-se normalmente nestas épocas natalícias (em especial o bacalhau e o azeite).

  3. Realmente alguém mostrar umas imagens de alimentos e uns caixotes do lixo e saltarem logo para as conclusões parece um pouco precipitado.

  4. E temos o caso dos muitos bens (dinheiro) que tem vindo a ser dado aos banqueiros ” carenciados” e eles fazem desaparecer. São milhares de milhões. Porque será que há tanta indignação com bens básicos oferecidos a quem diz ter dificuldades, logo os justiceiros afirmando que “não querem é trabalhar” e ” passam o dia no café” e nada comentam sobre a banca, banqueiros e reguladores.

    • Por favor não tente misturar música sinfónica com chocalhos de rebanhos de ovelhas. Que haja banqueiros desonestos, não duvido. Mas em todo o caso os vultuosos subsídios são concedidos para assegurar a continuidade dos postos de trabalho. Já os auxílios da Caritas e outros são concedidos com que intenção ou intenções?
      Temos também o caso da TAP, problema bem mais complicado. e de difícil entendimento. Tem raízes em adolescentes comunistas e esquerdistas, mal reconvertidos quando atingiram a maioridade política. Depois, ao chegarem a ministros, lá regressou a velha e onerosa mania das nacionalizações…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Música de Beethoven na igreja da Misericórdia

Rua de S. Sebastião sem passadeiras