DestaqueSociedade

Rua de S. Sebastião sem passadeiras

Conforme vão sendo concluídas as obras na zona envolvente da Várzea Grande, em Tomar, vão sendo detetados alguns erros de projeto ou de construção.

É o caso da rua de S. Sebastião, uma artéria no topo da rua dos Arcos, onde funcionou uma agência da Caixa de Crédito Agrícola e que liga à Várzea Grande.

O que se verifica depois de calcetada a rua, é que não existe qualquer passadeira para os peões. De uma ponta à outra da rua, não há qualquer travessia para os peões. E estamos a falar de uma zona residencial com algumas crianças.

A câmara ainda vai a tempo de corrigir este erro e garantir condições de segurança para quem circula a pé naquela zona.

Para agravar a situação, alguns automobilistas estacionam nos passeios obrigando os peões a circular na estrada. Foi o que aconteceu há poucos dias em que a polícia teve de autuar vários infratores (foto em baixo).

estac 3 1860737105538995904 n

rua s sebast
Texto publicado no jornal Cidade de Tomar (04-12-2020)

2 comentários

  1. E pra que as passadeiras aí? Consegue me dizer qual a lógica?

    Apesar de achar as obras todas como uma maneira ridícula de gastar dinheiro… Acho que as passadeiras aí não fazem sentido nenhum.

    Pensem mas é numa rotunda junto à Stara e deixem se de críticas sem sentido.

  2. Não parece existir necessidade de colocar passadeira, talvez sinais de limite de velocidade de 20 Km/h. Sem passadeiras as pessoas podem passar em qualquer parte e os condutores têm de ir devagar e ceder passagem. Se não for lá grande ideia, então talvez fechar a rua (e também a R. Arcos a parte que vai do cruzamento até à R. S. Sebastião) a apenas moradores/ lojistas (com garagem) e serviços de emergência.

    A polícia poderia andar é a rebocar os veículos, que é para a malta ainda ter o incomodo de ter de ir à procura do veículo além de multa, assim talvez pensassem um pouco além do seu umbigo… quando adquiriram a carta foi na condição de respeitarem as regras em vigor… não é para andarem a fazerem o que bem querem.

    Dito isto a zona precisa de um ULTRA MEGA PARQUE de estacionamento. As pessoas precisam de estacionar os veículos em algum lado, se possível com segurança (polícia) permanentemente e gratuito para não terem um parque que depois não querem pagar ou para o qual são obrigados a ir pagar e que depois andam todas chateadas e a direccionar má energia que só atrai problemas desnecessários ao executivo e à cidade.

    Concordo também que o cruzamento junto da Stara precisa é de uma rotunda, espaço não falta para a fazer bem feita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo