in ,

Zona industrial ao abandono

São os próprios empresários da zona industrial de Tomar que se queixam do estado em que se encontra este espaço empresarial a sul da cidade.

Ervas que não são cortadas há anos, passeios intransitáveis, falta de limpeza, bocas de incêndios inacessíveis, são alguns dos problemas denunciados.

Alberto Miranda, da empresa Agrotemplário, Unip. Lda. é uma das vozes descontentes pelo estado de abandono em que se encontra a zona industrial de Tomar.

Escrita por Redação

Comentários

Leave a Reply
  1. Se fosse apenas a Zoma Industrial, a que tambem se quer nomear de parque empresarial. neste caso, é quase obsceno o desleixo, porque o senhor vereador Hugo Cristovão ainda se queixa dos efeitos da ausencia de politicas e de esforços por parte de anteriores executivos laranja, para captar empresas e investimentos (e emprego, portanto). Sendo isso verdade, tambem é verdade que já lá vão 6 anos (tanto tempo, e tantas oportunidades,…) e desta Câmara nada se vê. Só se ouve…
    E o abandono da Zona Industrial aí está para ilustrar a pouca sensibildiade, ou a incapacidade, desta câmara para atrair e cativar investimento. E se fossem só as ervas…enfim, adiante.
    Porque o abandono afecta também a Cidade, no seu âmago:
    *Ruas descuidadas, no piso e na limpeza;
    *Rio poluido (e não venham com a conversa que não é nada com a câmara); saberão, acaso, o significado do conceito de “pressão politica”?
    *Turismo ao acaso de obras virtuais e iniciativas debeis e espurias;
    *Discursos e anuncios de intenções jamais concretizas;
    Etc, etc, etc….

  2. Os empresários, preocupados com tal, não terão dinheiro para contratar alguém e fazer o trabalho de limpeza?
    Depois, fazer o mesmo que o estado faz aos particulares e empresas, e mandar-lhes a factura para pagarem 🙂 claro que não pagariam… mas pelo menos podiam ganhar vergonha na cara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Novidades do mundo dos negócios em Tomar

Afinal, o amianto mata ou não mata?