DestaqueEconomia

Grupo com mais de meio milhão de membros contra aumento dos combustíveis

Nasceu em Tomar um grupo no Facebook contra o aumento do preço dos combustíveis que regista uma adesão recorde de mais de meio milhão de membros em poucos dias.

“Greve aos combustíveis” é o nome do grupo que já conta com 513 mil membros. Nesta sexta feira, dia 15 decorre o primeiro de cinco dias de boicote ao consumo de gasolina e gasóleo (21 e 22, 28 e 29 de outubro) e estão previstas novas ações de protesto incluindo um buzinão “nas grandes pontes” do país.

“Se estás contra estes preços dos combustíveis participa neste grupo e nas greves aos combustíveis! Temos que deixar de ser este povo “manso” que admite tudo. Convida os teus amigos aderir e vamos fazer a união para que este governo e todos os outros percebam o mal que nos fazem todos os dias!”, lê-se na apresentação do grupo.

Ao jornal Dinheiro Vivo, um dos organizadores, Ricardo Freitas, explicou o objetivo do protesto: a ideia é obrigar o Governo a “baixar os impostos” sobre os combustíveis, pedindo aos cidadãos que não abasteçam nos dias marcados e lembrando que cerca de 60% do valor pago por litro de gasolina e gasóleo — respetivamente, 1,73 euros por litro e 1,53 por litro, neste momento — vem dos impostos.

 

4 Comentários

  1. Boa sorte com isso… o parlamento está a favor de manter esse imposto, logo só com parlamentares totalmente novos que não sejam de qualquer uma das forças políticas actualmente representadas e que vão para lá com essa garantia de que vão baixar isso para uns 10% ou assim de imposto total, é que talvez a coisa mude.

  2. Os carros elétricos devem pagar impostos iguais aos que usam derivados do petróleo. O problema do aquecimento global está na China, incluindo na sua industria e transporte para todo o mundo com portacontemtores gigantes, e não nos automobilistas pelintras portugueses.

  3. Realmente só em Tomar, cuja população é como todos sabemos das mais inteligentes do pais, podia surgir um movimento como este, opondo-se aos preços proibitivos dos combustíveis. Então votam socialista, tanto para o governo como para a autarquia, e depois querem combustíveis mais baratos?!? Por favor expliquem-me em que país governado pelos socialistas os combustíveis se tornaram mais baratos.
    Quem vota na chuva, depois molha-se, é evidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.