in ,

Cheias dos últimos 100 anos vão ser estudadas (c/ vídeos)

A câmara de Tomar encomendou um estudo sobre os “níveis de cheia com período de retorno de 100 anos, entre o Açude de Pedra e a Ponte Velha”, no rio Nabão.

Para isso contratou, por ajuste direto, o gabinete GIPP – Gestão Integrada de Projetos e Planeamento, Lda., com sede no Porto, por 12 mil euros + IVA.

O estudo é necessário para que a nova ponte entre a Várzea Pequena e o Mouchão possa ser construída, conforme foi aprovado pela câmara.

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. E pronto, esta obra F U N D A ME N T A L para a Cidade de Tomar, já vai com os primeiros 14.760 €, e ainda não estamos propriamente na obra em si ou no seu desenho.

    De facto, a obra que vai salvar o Município de Tomar, como é que ninguém pensou nisto antes?

    O que mais falta faz em Tomar, é sem sombra de dúvida, mais uma travessia para o Mouchão, porque as duas que existem claramente não chegam para tanta genta.

    Meu Deus, até que enfim que aquelas medonhas filas de de gente, que gritam em desespero para poderem passar. São milhões de transeuntes que, finalmente, vão poder escolher de uma entre três travessias possíveis, para uma ilha com 300 metros de largura.

    Estou em êxtase, de repente vou conseguir mudar-me novamente para Tomar. A Câmara Municipal de Tomar vai ser, depois desta obra, o novo Banco Central Europeu, vai passar a emprestar dinheiro a taxa de juro negativa, tal será o encaixe financeiro com impostos dos negócios que se irão instalar em Tomar. IBM, BMW, Facebook, Samsung, HSBC e The Bank of China, assim que ouviram esta notícia, apressaram-se a escolher os melhores locais da cidade para aí construírem as suas novas sede mundiais.

    Viva o progresso nabantino!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Não param as mensagens de homenagem e despedida ao arq. Costa Rosa

Centro hospitalar admite farmacêutico