EconomiaDestaque

Anabela Freitas aceita ser nº 2 na lista única para o Turismo do Centro

- Publicidade -

Após negociações, os dois candidatos à liderança da Turismo Centro de Portugal – Raul Almeida, presidente da câmara de Mira, e Anabela Freitas, presidente da câmara de Tomar -, decidiram apresentar uma única lista nas eleições do dia de 26 de julho.

A autarca de Tomar, que tinha poucas hipóteses de ganhar as eleições, aceitou o lugar de vice-presidente na lista encabeçada por Raul Almeida (PSD).

Ambos os autarcas justificam esta fusão de candidaturas com o argumento do “superior interesse da região”.

Anabela Freitas, citada pela Lusa, considera que esta é uma solução positiva para o Centro de Portugal. “Há muitos anos que tenho dedicado parte da minha vida a desenvolver a Turismo Centro de Portugal, enquanto membro da Comissão Executiva liderada pelo Pedro Machado. Vou continuar a dar o meu melhor, nesta lista conjunta com o Raul Almeida, para que a região tenha cada vez mais notoriedade e atratividade para os visitantes. É esse o nosso desejo comum e é esse caminho de unidade que vamos pôr em prática”, sublinha a autarca.

Para Raul Almeida “há a tradição, na Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal, de se apresentar uma lista única nas eleições. Foi o que aconteceu agora. As conversas que mantivemos nas últimas semanas renderam frutos e chegámos ao entendimento que todos desejávamos. Vamos apresentar uma lista de unidade, que reúne elementos de várias áreas da atividade turística e de diversos quadrantes políticos e que tem como prioridade máxima os superiores interesses da região”, destaca Raul Almeida.

- Publicidade -

“A lista vai integrar elementos das duas candidaturas, de forma a reforçar o espírito de unidade. Será, seguramente, uma equipa muito bem preparada para prosseguir o percurso de sucesso que a Turismo do Centro tem trilhado nos últimos anos. Juntos, vamos conseguir fazer crescer a região e apoiar os nossos empresários da melhor forma”, destaca Raul Almeida.

As eleições para os órgãos sociais da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal vão ter lugar a 26 de julho. O novo presidente irá suceder a Pedro Machado, que liderou os destinos do organismo durante 16 anos e que aceitou integrar a lista de Raul Almeida, enquanto candidato a presidente da Assembleia Geral.

 

Anabela Freitas abandona câmara de Tomar em setembro

As eleições no Turismo do Centro, entidade que abrange 100 concelhos das regiões da Beira Baixa, Coimbra, Leiria, Médio Tejo, Oeste, Ria de Aveiro, Serra da Estrela e Viseu Dão Lafões, estão marcadas para dia 26 de julho.

A autarca de Tomar fez saber esta semana que só tomará posse como vice-presidente no Turismo do Centro depois de 15 de setembro, argumentando com a época de incêndios. Até lá mantém as funções na câmara.

Segundo os estatutos daquela entidade, “com exceção do presidente e do vice-presidente, o exercício de funções na comissão executiva não é remunerado, nem há lugar ao pagamento de despesas de representação ou atribuição de quaisquer benefícios”.

A remuneração do presidente e do vice-presidente da comissão executiva é de montante equivalente à remuneração fixada para os titulares de cargos de direção superior, respetivamente, de primeiro e segundo grau da administração pública.

Ou seja, o presidente ganha 3.893,10 euros, mais 811,16 euros como despesas de representação, o que totaliza 4.704,26 euros.

Anabela Freitas vai ganhar 3.309,14 euros, mais 608,68 euros como despesas de representação, o que totaliza 3.917,82 euros.

 

Comentário

Anabela Freitas preferiu rebaixar-se do que perder as eleições

“Mais quero asno que me leve, que cavalo que me derrube” ou “Mais vale um pássaro na mão, do que dois a voar”. São expressões que definem bem a estratégia de Anabela Freitas (PS) ao aceitar uma posição secundária na lista única candidata às eleições para o Turismo do Centro.

O risco de perder as eleições, caso avançasse com uma lista própria, era elevado. E foi a pensar nisto que negociou o lugar de vice-presidente na lista encabeçada por Raul Almeida (PSD), presidente da Câmara de Mira.

É um lugar que lhe garante o conforto de um ordenado de quase 4 mil euros, a que acrescem ajudas de custo e inúmeras visitas em Portugal e no estrangeiro, com tudo pago, uma série de mordomias e sem as preocupações de ouvir as reclamações dos munícipes.

JG

 

 

- Publicidade -

9 comentários

  1. A notícia deveria ser Anabela consegui o que queria!
    Sai da CMT a tempo de deixar a quinta entregue ao herdeiro, vai para um cargo REMUNERADO e bem remunerado, sem as pressões de ser a Presidente, mas com pelo menos 10 anos de tacho assegurado.

    E já agora , quando foi eleita pela primeira vez para a CMT, todos diziam que era a marionete nas mãos desse vulto da política que passados 10 anos é mais um obscuro funcionário público sem nenhuma relevância. Ela ao contrário vai de vento em popa e provavelmente o futuro presidente do Turismo do Centro, levará os patins dentro de 5 anos…

  2. ai está o belo exemplo dos partidos(ps e psd), tendo em consideração o que esta inutil fez na área do turismo em Tomar ou melhor o que nao fez e sem dúvida a pessoa indicada para o cargo…esta Anabela nem para dar agua aos cães presta mas ela ai anda….

  3. Os destinos do concelho se estavam mal entregues, pior vão ficar porque para a política só vai a merda da sociedade que vai á procura do tacho/ gamela bem cheia.

  4. “um ordenado de quase 4 mil euros, a que acrescem ajudas de custo ” está incorreto, basta ler o que escreveu num paragrafo anterior onde diz ” 3.309,14 euros, mais 608,68 euros como despesas de representação, o que totaliza 3.917,82 euros.”.
    Ou seja, a afirmação é incorreta, pois devia dizer “um ordenado de quase 4 mil euros COM ajudas de custo”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo