DestaqueSociedade

Uma ideia para acabar com as beatas nas sarjetas

Uma beata lançada no chão em Tomar pode ir parar à sua praia de eleição. Pode parecer uma imagem exagerada, mas o facto é que as beatas que caem para as sarjetas das ruas da cidade são levadas pela chuva para o rio Nabão, depois para o Zêzere e o Tejo e, finalmente, para o mar onde depois acabam por ir dar às praias empurradas pela ondulação. A juntar a isto há ainda alguns banhistas que deitam fora as beatas de cigarros diretamente para a areia da praia.

Está provado que as beatas de cigarro são um dos detritos mais abundante em todo o mundo. Basta espreitar as sarjetas de Tomar para confirmar a grande quantidade de beatas que são atiradas para o chão.

Uma solução simples e já utilizada noutros países é a colocação de uma rede nas grades das sarjetas, como a foto mostra.

Enquanto noutras cidades, as câmaras investem em equipamentos de deposição de beatas (eco-beatas) ou na distribuição gratuita de porta-beatas individuais, em Tomar até agora nada foi feito para além de campanhas de recolhas de beatas na rua, dinamizadas por voluntários.

beatas 1 1541021088845135872 o beatas 21 143660376809013248 n beatas 86 3308962909303865344 o

Tomar sem “eco-beatas”

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.