CulturaDestaque

Mordomo anuncia primeiras novidades da festa dos Tabuleiros de 2023

Mais bancadas para ver a festa, novo local de concertos (mudam do estádio para a Várzea Grande) e antecipação da abertura das ruas populares ornamentadas são algumas das novidades da próxima festa dos Tabuleiros a realizar em julho de 2023.

As novidades são reveladas pelo mordomo, Mário Formiga, em entrevista concedida esta semana ao jornal Cidade de Tomar. É a primeira grande entrevista que concede desde que foi escolhido para mordomo a 10 de abril.

Está em estudo a possibilidade de antecipar a abertura das ruas populares ornamentadas. Nas duas últimas festas foram abertas à quinta feira podendo ser visitadas até domingo. Em 2023 “as ruas podem ser inauguradas ainda mais cedo”, anuncia Mário Formiga.

Quanto às bancadas para ver os cortejos, após a experiência falhada na alameda Um de Março em 2003 e o sucesso em 2019 na av. Cândido Madureira, o objetivo é, não só manter as bancadas na avenida, “estendendo-se, possivelmente, até à ponte nova”.

Em relação aos espetáculos que decorrem durante a semana da festa, deixam de ser realizados no estádio e passam para a Várzea Grande.

“A minha tarefa é pôr esta Festa em pé com os tomarenses, com os agrupamentos, com as freguesias, com as associações, com todos. O meu objetivo é fazer uma Festa digna”, anuncia o mordomo.

E acrescenta: “eu quero a Festa dos Tabuleiros como uma festa do concelho, com todos unidos em volta da nossa Festa, foi para isso que fui eleito. A minha tarefa é colocar a Festa na rua e conto com todos para isso. As juntas de freguesia podem contar com o meu apoio para o que necessitarem”.

A festa dos Tabuleiros realiza-se normalmente de quatro em quatro anos.

4 comentários

  1. Notícia oportuna, sem dúvida, porém um pouco castradora. Nada diz, por exemplo, sobre a opinião do mordomo segundo a qual como a festa é só de quatro em quatro anos, era bom ter uma estrutura permanente e um “museu” dos tabuleiros. A velha rábula local. Não seria melhor ter a festa todos os anos?
    Também avança o mordomo que os tabuleiros são uma festa do concelho. Tem razão, mas cabe observar que deixou de ser autêntica, tanto na forma como no fundo. Na forma, porque na origem os tabuleiros eram ofertas e desde 1950 são pagos pela câmara. No fundo, porque antes servia para distribuir o pão dos tabuleiros ao povo e isso também já deixou de acontecer.
    Haja coragem para reconhecer que nos nossos dias a única festa do tabuleiros totalmente fiel à tradição é a de Carregueiros. Doa a quem doer! E também para antecipar que uma festa dos tabuleiros paga pela câmara, cujo papel para as flores da ruas e dos tabuleiros é comprado na Alemanha, tem naturalmente os dias contados. Por falta de verbas.
    Afiança o sr mordomo que o subsídio da câmara para a festa é de 200 mil euros. Era bom, era! Infelizmente o ano que vem têm de multiplicar por 4. E não vai chegar!

  2. Mais um palerma nabâncio este Yur-pt
    São tantos que quase nem se nota. Mas estão a encolher, como o careca depois de cada serviço.

  3. Caro Sr. Bonifácio,

    Se fosse todos os anos, perdia todo o carisma que a festa tem, e passava de ser uma festa única, a ser uma festa banal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.