in ,

Três horas à espera de socorro

É mais um caso que revela o problema da falta de pessoal nos bombeiros de Tomar. Aconteceu nesta quarta feira, dia 11, com um conhecido cidadão tomarense.

João Perfeito, de 82 anos, antigo seccionista do Sp. Tomar e fundador do Centro Ortopédico Tomarense, sofre de diabetes e pediu socorro aos bombeiros de Tomar por volta das 11 horas. Estava a sentir-se mal e precisava de assistência.

Depois de telefonar para o CODU, que rejeitou o caso, telefonou aos bombeiros. Mas a ajuda – um serviço que neste caso é pago pelo doente – só chegou depois das 14 horas porque não havia pessoal suficiente no quartel.

Por acaso a situação não era muito grave e logo ali ficou resolvida, mas o atraso no socorro pode representar a perda de uma vida.

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. O ideal quando se precisa de socorro é ligar 112. Depois a chamada é emcaminhada para o CODU, depois o CODU é que aciona o meio de emergência adequado, podemos ir ou até ligar aos Bombeiros, mas é uma perca de tempo. Ainda bem que tudo correu bem.

  2. O que aconteceu nesta situação acontece todos os dias… a pessoa não conseguiu justificar perante o CODU a situação e a situação passou a serviço extra em relação à emergência médica, tendo os bombeiros de responder primeiro a outras situações mais emergentes.
    As pessoas podem ligar para os bombeiros ou para o 112, a triagem é sempre feita pelo CODU, sendo este que atribuí ou não número de saída, o que aconteceu neste caso.
    Mas sim, os bombeiros tem falta de pessoal, muita falta mesmo!

  3. Sr Pompeu, ninguém precisa de uma acção de formação sobre como atuar em caso de emergência. Se a Sra presidente cumprisse as suas obrigações nada disto acontecia mas, ela não precisa dos bombeiros.

Responder a Conde da Charola Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Quem se lembra das primeiras eleições autárquicas?

Aí está o videoclip dos Quinta do Bill sobre os caretos