SociedadeDestaque

Trabalhadores despedidos do CIRE processam instituição

- Publicidade -

Pelo menos dois processos deram entrada no tribunal de trabalho de Tomar por parte de trabalhadores do CIRE – Centro de Integração e Reabilitação de Tomar que foram despedidos pela atual direção presidida por Célia Bonet.

O primeiro julgamento decorreu no dia 31 de outubro e terminou já ao fim do dia, com um acordo entre as duas partes. O ex-dirigente, ex-assessor da direção e atual encarregado de serviços gerais do CIRE foi despedido em junho de 2022 com o argumento de extinção do posto de trabalho e dificuldades financeiras.

Seguiu-se no tribunal de trabalho o processo de “Impugnação Judicial da Regularidade e Licitude do Despedimento”, que terminou com o CIRE a ter de indemnizar o trabalhador em milhares de euros. José Lagarto fez parte da direção em 2012 e 2013, foi contratado (dois ajustes diretos consecutivos) a recibos verdes de 2014 a 2020 como assessor da direção, sendo integrado no quadro do CIRE como encarregado de serviços gerais em janeiro de 2020, era Luís Salgueiro presidente da direção.

O próximo processo, cujo julgamento está marcado para 12 de dezembro, foi acionado pela coordenadora do CRP – Centro de Reabilitação Profissional, Telma Santos, também despedida.

Atualmente o CIRE, que apoia sobretudo pessoas com deficiência, tem nove valências em funcionamento, com cerca de 600 utentes e cerca de 100 funcionários.

- Publicidade -
- Publicidade -

6 comentários

  1. Bom dia Maria. Muito admiro a sua coragem. O CIRE não merece o que está a ser silenciado e orquestrado. Mas as pessoas andam a enlouquecer? Grande abraço para o senhor José e para a dona Telma.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo