SociedadeDestaque

Queimada confundida com incêndio (c/ vídeo)

- Publicidade -

Uma queimada controlada na tarde desta segunda feira, dia 17, na zona de S. Simão, Tomar, foi confundida com um incêndio, gerando algum alarme.

Afinal, trata-se de uma ação de limpeza de resíduos da floresta, devidamente autorizada e da qual os bombeiros têm conhecimento.

“Está tudo controlado”, referiu fonte dos bombeiros de Tomar.

queimada 755 2844763792239292028 n

queimada 552443 5030332675104615811 n

- Publicidade -
- Publicidade -

1 comentário

  1. Ao proprietário do povoamento florestal que executou a queimada assiste o direito de o fazer e esse direito deve ser respeitado, contudo, este procedimento é tecnicamente errado e favorece apenas a indústria química dos adubos.
    Neste caso, “deitou-se fora o menino com a água do banho”.
    Na gestão florestal deve ter-se em conta na exploração em talhadia, (rotação por corte da árvore com posterior regeneração do povoamento por rebentos do cepo) que as cascas e folhas das bicadas contêm os micronutrientes essenciais à continuidade da árvore. Queimando estes micronutrientes, eles terão de ser substituídos por adubação quimica.
    Então, tecnicamente, qual é a solução?
    Consiste no destroçamento e subsolagem destes sobrantes, ou até mantê-los em decomposição na manta morta.
    Queima só é solução quando existam razões sanitárias para tal.

    Enquanto decorria esta queimada vieram os ecologias da Zero dizer-nos, numa atitude ainda mais absurda que esta, que deveria ser limitada ou proibida a queima de lenha nas lareiras das casas rurais, por provocarem poluição do ar, aumentando a quantidade de partículas nocivas à saúde.
    O que terão eles a dizer sobre estas queimadas?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo