in ,

Mulher colocou seis cachorros no lixo

Seis cachorros recém nascidos foram lançados num contentor do lixo dentro de um saco com água e detritos, na Choromela, Tomar, no dia 28 de setembro à tarde.

Segundo testemunhas, foi a dona de uma cadela de raça Labrador que colocou o saco no lixo com a intenção de deixar morrer os animais.

Populares alertaram as autoridades, vieram os bombeiros e a polícia que tomaram conta da ocorrência, depois de uma grande discussão na rua entre a mulher e os moradores. A cadela e os cachorros (todos sobreviveram) foram levados para o canil da Associação Protetora dos Animais.

Além dos seis cachorros que estavam no lixo, nasceu mais um em casa da dona e mais dois quando a cadela já estava no canil, totalizando nove cachorros.

O caso gerou uma onda de indignação e revolta nas redes sociais.

A APAT lançou entretanto um apelo que precisa de ração e patés para cachorros, bem como desparasitantes internos.

A cadela com os seus nove cachorros já no canil

Escrita por Redação

Comentários

Leave a Reply
  1. É perante casos como este que eu não entendo determinadas organizações que, ainda há uma semana atrás, em plena campanha, se intitulavam a salvação do reino animal, mas que não apresentam medidas concretas de carater preventivo com vista a tentarem evitar ou pelo menos minimizar casos como este.
    Existem na sociedade cada vez mais “modas” e chegou até a moda de ter um determinado animal: ou porque a amiga ou vizinha têm; porque o filhote pediu; porque é sinal de afirmação; porque embeleza a página de uma qualquer rede social; porque é simpático responder afirmativamente a uma iniciativa de adoção e aparecer nas fotos da iniciativa, etc..
    Cria-se alguma legislação com umas medidas, mas pouco ou nadas preventivas. Ora, para quem se arroga como a salvação dos animais na terra e brevemente em outros planetas, muito há por fazer, acima a de tudo no plano da prevenção.
    Como em qualquer outra área o foco tem que estar na prevenção, por ser mais eficaz e mais económico.
    Nesse sentido, há que discutir e legislar sobre um sem números de questões bem antes de alguém sequer sonhar com a irrealidade e o absurdo de um serviço público de saúde para animais num país em que morrem todos os dias pessoas por falta de serviços de saúde adequados. Têm que pensar que tal como outras coisas na vida nem todos têm condições para terem tudo ou aquilo que gostariam na vida, quer seja por questões económicas, sociais, de habitabilidade, de idoneidade, etc..
    Poderia aqui concretizar, mas falta-me tempo.

  2. Apenas referir a título de exemplo que determinados animais e determinas raças necessitam desde logo de determinadas condições: espaço; treino; esterilização, cuidados de saúde, necessidades que advém do crescimento e idade; cuidados durante 12 meses por ano e não 11, etc.. que tem que estar assegurados por quem os pretende ter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Festa da Vindima na rua dos Arcos cresce de ano para ano

Tomar: primeiro ninho de vespa asiática detetado na cidade (c/ vídeo)