in ,

Modelo tomarense já apresentou queixa na GNR contra revisor da CP

A modelo tomarense Sara Sequeira, que diz ter sido alvo de assédio sexual por parte de um revisor da CP no comboio entre Carrascal e Tomar, apresentou queixa na GNR no dia 8.

O caso tornou-se viral e está a ter uma grande repercussão nacional suscitando acesos debates sobre a liberdade e afirmação da mulher em contraponto com uma visão mais machista da situação.

Sara, de 28 anos, entrou no comboio com um vestido com um decote pronunciado, e o revisor terá comentado: “Ainda bem que não está frio ou as mamocas constipavam-se”,

Já na estação de Tomar e a gravar a conversa com o telemóvel, Sara confrontou o revisor sobre as suas palavras acusando-o de fazer um comentário “machista e preconceituoso”, isto depois de ter escrito a reclamação no livro amarelo.

O revisor não se mostrou arrependido, acusou-a de “andar a provocar os homens todos” e de não ter condições para viajar de comboio com aquela roupa.

Em comunicado a CP diz que não se revê no que aconteceu e instaurou um processo disciplinar ao revisor que, segundo o JN, é pastor protestante no Entroncamento.

Entretanto, Sara suspendeu a sua conta no Facebook, mantendo apenas o Instagram.

O caso foi analisado na CMTV pelos comentadores Joana Amaral Dias e Manuel Rodrigues. Na TVI Patrícia Cipriano, advogada e António Teixeira, inspetor-chefe da PJ, comentaram o caso na «Crónica Criminal».

Sara Sequeira, a mulher assediada por revisor da CP. “O pensamento daquele homem não é único. Portugal pensa assim”

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por sara sequeira (@sara_cm_sequeira) a

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por sara sequeira (@sara_cm_sequeira) a

Você na TV – TVI

MULHER ACUSA REVISOR DA CP DE ASSÉDIO POR CAUSA DE DECOTE

 

A situação vivida pela Sara não é nova. É comum, acontece todos os dias. Eu já passei pelo mesmo, curiosamente também…

Публикувахте от A Gaja в Сряда, 9 септември 2020 г.

 

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. O país no seu melhor. Uma jovem exibicionista que, querendo dar nas vistas, usa roupa adequada. Um revisor que se acha engraçado e emite grasola para quem não conhece.
    O dito ” jornalismo” a fazer cobertura e comentadores a mandar bitaites.
    A menina já teve o seu momento de glória publicitária e daí talvez lhe venham conhecimentos interessantes com a carteira recheada. O revisor está tramado e ainda fica com o emprego em risco.

    • Eu desafio o senhor revisor a apresentar denúncia por gravação e divulgação pública da sua voz sem autorização!
      Não vale tudo para se ter protagonismo, independente da pretérito comentário do senhor revisor!
      Questiono-me se o referido comentário, diga-se que infleliz e desapropriado, em vez de ter sido proferido por um revisor tivesse sido proferido por um Cristiano Ronaldo ou por uma Filomena Cautela desta vida?
      Não tenho dúvidas que nada disto era (pseudo notícia).
      Vivendo numa sociedade doente para a qual a comunicação social tem um grande contributo!

      • Concordo plenamente, hoje em dia fala se tanto sobre o RGPD e quase nunca é aplicado… Que eu saiba não é permitido filmar ninguém (sem ser agentes da autoridade ou militares que não estão abrangidos) sem a sua autorização, ou seja, a menina Sara pode vir a pagar uma boa indemnização ao dito revisor por ter violado os seus direitos de liberdade em relação à gravação da voz… Com isto, refiro que obviamente não concordo com o piropo emitido pelo revisor nem apoio o assédio seja de que forma for. Mas há limites se fosse ao contrário, um homem a ser assediado por uma mulher e se fosse queixar, ainda era gozado na esquadra da GNR, agora assim…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Burger King avança com obras e recrutamento de pessoal (c/ vídeo)

Sp. Tomar vence Tigres de Almeirim