in ,

Canalizador da câmara agredido no bairro

bairro 1° de maio IMG 20170514 075358

Na tarde desta sexta feira, dia 24, um canalizador da câmara de Tomar foi agredido no bairro 1º de maio quando estava a fazer uma reparação na canalização de água de uma casa atribuída pela câmara a uma família do Flecheiro.

O funcionário não tinha todas as peças necessárias para a reparação e quando disse que ía aos pavilhões da FAI buscar o material, começou a confusão, com os moradores a exigirem que o problema fosse resolvido na hora.

O homem foi agredido, ficou com vários hematomas e teve de fugir. Ainda não foi confirmado oficialmente, mas pelo que apurámos, já foi apresentada queixa à polícia.

Já em maio deste ano, na mesma zona, foi uma das assistentes sociais da câmara que foi agredida por uma moradora.

Assistente social da câmara agredida no bairro 1º de maio

Escrita por Redação

Blog informativo Tomar na Rede. Notícias sobre Tomar e região envolvente. Informação local e regional.

Comentários

Responder
  1. Onde anda a polícia?
    Não há regras para quem tem estas benesses ? Caso não cumpra?
    Não devia haver espaço para quem não sabe viver em sociedade..

    • Tinha de estar no contracto, e antes têm de provar para além da dúvida razoável que aconteceu mesmo, e quais as circunstâncias.

      Talvez os funcionários tenham de passar a ser acompanhados pela polícia ou seguranças com formação em protecção pessoal. Se o município tivesse polícia municipal a mesma poderia acompanhar os funcionários nos locais mais inclinados à violência.

  2. Há uma ironia nisto tudo

    Antigamente aquilo era o Bairro Salazar. No tempo em que havia pobres e ficavam gratos por aquilo que o Estado ou as entidades públicas lhes proporcionavam.
    No entanto, uma vez, quando os tropas queriam mais pré para continuar a guerra, fez-se uma revolução e o fascismo mudou de nome. As coisas mudaram de nome. O golpe militar que era para aumento do ordenado nas comissões no ultramar, passou a ser por causa da liberdade e da democracia. E ganharam-se também dois feriados.
    A ponte que foi feita no tempo do dito, que tinha o nome e foi inaugurada por ele mesmo, o Salazar, mudou de nome; passou a chamar-se 25 de Abril. Grande regime que tão estrondosa obra fez! As portagens, que era para serem pagas só até pagar a ponte, ficaram para sempre. É que o novo regime é muito mais democrático a sacar dinheiro: o principio de justiça passou a ser o sempre que se pode, saca-se.

    E até em Tomar
    O que era Salazar
    Que horror dos horrores!
    Passou a ser primeiro de Maio
    Que é dos trabalhadores.

    Já não há pobres nem caridade. Temos cidadãos, direitos e solidariedade. Temos gente que não se pode dizer o nome.
    E porrada para o único que lá vai trabalhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0
camara IMG 20210422 080559

Ingratidão e desprezo

arvores margem rio

Destruição das margens do Rio Nabão (c/ vídeos)