in ,

Câmara de Tomar não concorre às 7 Maravilhas Doces

Empresários estranham e lamentam que a câmara não tenha avançado com qualquer candidatura

Fatias de Tomar

Ao contrário do que aconteceu no anterior concurso das 7 Maravilhas à Mesa, em que Tomar chegou à final, desta vez, nas 7 Maravilhas Doces 2019, concurso cujo prazo terminou no dia 17, a câmara não formalizou qualquer candidatura.

Pelo que conseguimos apurar, apenas a pastelaria Templária concorreu, por sua conta e risco, com as tradicionais Fatias de Tomar. Aliás, foi com este doce que a pastelaria ganhou a medalha de ouro na X Mostra de Doçaria Conventual e Regional de Coimbra, em outubro de 2018.

De uma maneira geral, os proprietários das pastelarias de Tomar estranham e lamentam que a câmara não tenha avançado com qualquer candidatura às 7 Maravilhas Doces. “É uma pena, fiquei muito triste”, desabafou uma empresária.

Isto apesar de haver 18 pastelarias na cidade, uma mostra anual de doçaria “De Tomar e dos Conventos”, a iniciativa “Doce Passeio Doce” e uma série de doces tradicionais como as Fatias de Tomar, Bolos de Cama, Espadas de D. Gualdim, Beija-me Depressa, Pimpinelas, Estrelas de Tomar, Janelinhas do Capítulo e Nabantinos, entre outros.

Perdeu-se assim uma oportunidade para se promover a nossa doçaria a nível nacional.

As candidaturas às 7 Maravilhas Doces de Portugal®  alcançaram o melhor resultado de sempre numa eleição 7 Maravilhas, com 907 doces inscritos nas sete categorias a concurso: “Doces de Território”, “Doces de Inovação”, “Doce de Colher e Doce de Fatia”, “Bolos de Pastelaria”, “Doces Festivos”, “Doces de fruta e mel” e “Biscoitos e Bolos Secos”.

As candidaturas foram submetidas numa plataforma online, por entidades públicas, privadas e por pessoas singulares, e vão ser agora validadas pelo Conselho Científico.

“Estivemos a receber inscrições até ao último minuto, numa mobilização sem precedentes numa eleição 7 Maravilhas. Nunca tínhamos recebido tantas candidaturas, o que não só nos permite ter uma representatividade e diversidade extraordinárias de toda a doçaria portuguesa, demonstrando que todo o país vive intensamente os nossos doces”, refere Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas.

Das 907 candidaturas apresentadas, a categoria de “Doces de Território” é a que conta com mais inscrições, num total de 246 candidaturas.

Seguida pela categoria de “Doces de Inovação”, com 175 doces candidatos, em linha com a filosofia do concurso, que pretende por um lado valorizar a doçaria tradicional e por outro lado apostar na inovação, incentivando o empreendedorismo local.

A categoria de “Doce de Colher e Doce de Fatia” contou com 126 inscrições, seguindo-se os “Doces de Pastelaria” com 107 candidaturas. Os “Doces Festivos” têm 101 candidatos e os “Biscoitos e Bolos Secos” contam com 91 propostas.

As 907 candidaturas vão ser agora avaliadas e validadas pelo Conselho Científico e a lista será revelada brevemente. Após validadas todas as candidaturas, um Painel de Especialistas vota para escolher 21 doces de cada distrito ou região autónoma, organizados pelas 7 categorias, sendo 3 de cada categoria, num total nacional que pode atingir os 420 doces.

Depois de fixada a Lista de 21 doces por cada distrito ou região autónoma, o Painel de Especialistas faz nova votação para reduzir a lista a 7 doces por distrito ou região autónoma, chegando à lista final de 140 doces que serão posteriormente apresentados para votação pelo público.

Estes 140 doces vão ser reveladas a 8 de maio e são votados pelo público em 20 programas, a emitir em direto pela RTP, nos meses de julho e agosto. De cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, órgão de deliberação constituído por 7 figuras do espaço mediático, que será responsável pela da repescagem de 8 candidatos que se irão juntar aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Os 28 pré-finalistas são divididos por sorteio pelas duas semifinais, nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre.

Em cada semifinal são apurados os 7 doces, aqueles que tenham mais votos contabilizados. Nesta fase os 7 elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os Doces.

A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal®.

 

Escrita por Redação

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Palestra sobre pegada digital na escola Jácome Ratton

Apelo