DestaquePolítica

Jovem ucraniano candidata-se à câmara de Tomar pelo Volt (c/ vídeo)

Nasceu na Ucrânia mas vive em Tomar desde os oito anos tendo adquirido a nacionalidade portuguesa há cerca de cinco anos. Mykhaylo Shemliy, conhecido por Misha, de 21 anos, vai candidatar-se à presidência da câmara de Tomar pelo recém-formado partido Volt.

À beira de completar 22 anos (28 de maio), Misha frequenta o curso de gestão de empresas no Instituto Politécnico de Tomar e é vice-presidente da estrutura distrital do partido.

Os seus pais emigraram para Portugal quando tinha oito anos e nesta altura está perfeitamente integrado na comunidade nabantina, tendo sido jogador nas equipas jovens do U. Tomar. Aliás, fala fluentemente português conforme se pode constatar no vídeo.

É o segundo candidato mais jovem nas eleições autárquicas em Tomar. Em 2013, recorde-se, Flávio Nunes, de 18 anos, candidatou-se pelo Movimento Partido da Terra.

Para dia 5 de junho, no parque do Mouchão, está prevista a apresentação oficial da candidatura do Volt, com a presença de dirigentes nacionais.

O candidato à assembleia municipal de Tomar pelo Volt é Gonçalo Venâncio, de 28 anos, que trabalha como técnico de Procurement.

“Apresentamos uma equipa jovem, que quer mudar para melhor a face de Tomar, bem como abrir portas para verdadeiras oportunidades de trabalho neste concelho, valorizando o turismo, mas também facilitando o investimento noutras áreas, nomeadamente a indústria não poluente”, anuncia o partido na sua primeira comunicação oficial sobre a candidatura.

Caso Misha não tivesse nacionalidade portuguesa não se poderia candidatar uma vez que a Ucrânia não faz parte da União Europeia.

De acordo com a lei, só podem ser candidatos às autárquicas os cidadãos maiores de 18 anos recenseados em Portugal, incluindo os cidadãos portugueses e os cidadãos brasileiros com estatuto de igualdade de direitos políticos, os cidadãos de Estados Membros da União Europeia (Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polónia, República Checa, Roménia e Suécia), os cidadãos do Brasil, Cabo Verde e Reino Unido.

Apresentado como “movimento pan-europeu”, o Volt Portugal foi fundado em dezembro de 2017, por Tiago Matos Gomes, ex-jornalista com ligações familiares a Tomar, tendo sido aprovado como partido em junho de 2020 pelo Tribunal Constitucional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.