in

Consumidores dos SMAS roubados legalmente durante anos

Pródiga em declarações espampanantes, que depois nem sempre se verificam na triste realidade local dos factos, desta vez a senhora presidente da câmara, que não parece atravessar um bom momento, garantiu que, genericamente, o preço da água da rede vai baixar 15,38%, já a partir de Janeiro próximo. Chamo a atenção para a extraordinária precisão cirúrgica da coisa. Não será uma redução de tarifário da ordem dos 15%, nem mesmo dos 15,5%. Exactamente 15,38%. A gente lê e até fica com a impressão que os senhores autarcas não brincam em serviço. Que sabem sempre na perfeição o que andam a fazer. Puro ilusionismo político.

Lamentando contrariar a senhora presidente, com quem simpatizo, cumpre-me informar que a notícia  do preço da água (a ser lida aqui) só a pode vir a prejudicar. Porque, uma de duas. Ou é falsa e estamos conversados. Será mais uma atoarda para enfeitar. Ou é verdadeira e como consumidores temos vindo a ser roubados há longos anos. Não pode haver meio termo.

Isto porque, não tendo havido qualquer alteração de vulto, para além da transferência efectiva dos SMAS para Ourém. Não tendo ocorrido qualquer  redução de preços dos fornecedores em alta. Mantendo-se as perdas anuais devidas a roubos e roturas na rede, da ordem de 1,8 milhões de metros cúbicos, em 2018, o que corresponde a um prejuízo seco de 1,5 milhões de euros. Não se vê de onde possa resultar a anunciada redução de 15,38%, a não ser da nova gestão, com sede em Ourém, que terá de pagar a menos pessoal. Sabe-se, com efeito, que mais de 20% do pessoal dos SMAS transitou para o quadro de pessoal da câmara, ignorando-se até agora quais vão ser as suas novas funções na prática. Se calhar meros capadores de grilos, contra a sua própria vontade.

Conclusão, os consumidores tomarenses andaram, durante anos e anos, a pagar a água (e taxas obrigatórias anexas) a preços proibitivos, tendo como fundamento a necessidade de pagar ao pessoal excedentário dos SMAS. Foram portanto roubados. Roubo legal, é certo. Mas roubo, mesmo assim.

E nem a presença de um conceituado eleito da CDU no conselho de administração dos SMAS, durante 4 anos, conseguiu alterar tão lamentável estado de coisas. O que não surpreende. Em política, os extremos tocam-se. Se os salazaristas proclamavam “Tudo pela nação, nada contra a nação”, desde o 25 de Abril, comunistas, socialistas e esquerdistas em geral agem sempre tendo presente a doutrina interna de facto: “Tudo pelos funcionários, nada contra os funcionários”.

E como nos SMAS, confirma-se agora, havia funcionários a mais…

 

                                                      Gualdim Porque Sim

 

Comentários

Leave a Reply
  1. Os 15,38 deve ser o numero que aparece no ecrã da calculadora. Já temos sorte de não afirmarem ser a redução de 15,3843%. Quanto ao roubo legal isso é uma constante da vida da grande maioria dos portugueses: na água, mas também na eletricidade, gás, relação com os bancos, PPP e outros negócios privados subsiados pelo Estado! E se um ladrão normal ainda arrisca a sua liberdade, o ladrão legal vive alegre e impunemente. Triste sina.

  2. Ver para crer.
    Ora vejamos aqui um simples exemplo de um Contador SEM Consumos;

    Tarifa fixa de água = 4,94 €
    Tarifa fixa saneamento = 3,93 €
    Resíduos sólidos fixos = 2,52 €

    Total sem IVA = 11,39 €
    Total com IVA = 11,69 €

    Devo novamente realçar de que estes Valores são de um CONTADOR SEM CONSUMOS, e que são cobrados mensalmente.

    Se isto não é um roubo descarado, então não sei o que será um roubo.
    Alguém anda a meter ao bolso há já demasiado tempo, e o Consumidor é que anda a sustentar esta corja toda.
    Portanto, iremos ver os valores reais que possam vir a traduzir-se, para percebermos quantos mais serão agora a comer do mesmo tacho.

  3. Há no texto um elemento muito objectivo para avaliar a amplitude do roubo. Conforme se pode confirmar aqui: https://radiohertz.pt/tomar-roubos-e-perdas-de-agua-custam-bem-caro-aos-tomarenses-so-em-2018-desapareceram-18-milhoes-de-metros-cubicos/ perdas e roubos de água foram em 2018 de 1,8 milhões de metros cúbicos. Um prejuízo de 1,5 milhões de euros. Diz a rádio oficial da autarquia.
    Temos portanto que, de acordo com os próprios elementos daqueles serviços, os SMAS pagavam a água ao seu fornecedor (a EPAL-Águas do centro) a 83 cêntimos o metro cúbico. Ou seja 83 CÊNTIMOS POR CADA MIL LITROS DE ÁGUA.
    Comparando com os preços em vigor, com realce para a taxa fixa obrigatória de 4,94€, mesmo sem consumo, verifica-se que é ainda melhor que um negócio da China, ou mesmo aqueles negócios do petróleo. É um negócio à moda de Tomar. Onde os do poder fazem o que querem, contando de antemão com o silêncio cúmplice do rebanho. Incluindo a alegada oposição.
    Até quando?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

António Gameiro barrado no aeroporto

VMER do Médio Tejo em risco de não ter médicos no Natal e ano novo