in ,

Camião da Esperança, ou Camião da “Chupança”???

A tribuna de António Rebelo

Escreve assim, a fonte que vou passar a citar. Um antigo aluno meu, agora a exercer na área clínica “na linha da frente do combate ao covid19“:

Na sequência da sua última intervenção no Tomar na Rede, intitulada “Mais uma asneira monumental”, não podia deixar de partilhar consigo esta outra, que vem de encontro ao conteúdo da mensagem que exemplarmente, uma vez mais, passou.

Atente nesta notícia.

Passo agora ao insólito: Foram realizados 889 “testes rápidos” no citado camião, tendo sido detectados 29 casos positivos. Acontece que, destes 29, após repetição do teste pelo método PCR, numa entidade idónea, 26 eram afinal negativos.

Dinheiro deitado à rua, ou investimento em propaganda política???” 

De acordo com a mesma fonte, tanto a srª presidente da câmara como a srª delegada de saúde já foram informadas sobre esta triste realidade. Mesmo assim, como os tomarenses bem sabem, ainda nada transmitiram à informação local. O que neste caso sensível se compreende. Ninguém gosta de admitir publicamente que foi enganado. Mas no caso da autarquia terá sido apenas mais um engano?

É que começam a ser demasiados enganos…

 

                                                              António Rebelo

Escrita por Redação

Comentários

Responder
    • É como cantava o saudoso Variações: “Quando a cabeça não tem juízo, o corpo é que as paga”:
      Neste caso, como em todos os outros, quando a câmara não tem juízo, a gente é que paga.

  1. O dito Camião fez parte de uma campanha publicitária da TVI divulgada pela mais poderosa máquina publicitária. Correu o país convencendo autarcas da sua bondade. Algum comentadores até referiram ser este bom exemplo da eficiência e vantagens da iniciativa privada. Sem serviços com capacidade técnica, políticos locais apoiaram a iniciativa, talvez pretendendo mostrar o seu interesse pela saúde da população. Se é verdade que tal Camião era uma fraude, o que importa saber é o que fez e como autorizou tal processo a entidade Reguladora da Saúde.

    • “Se é verdade que tal camião era uma fraude…” escreve você. Porquê o SE? Ainda tem dúvidas após os elementos agora avançados? Parece-lhe pouco, 26 testes negativos em 29 anunciados como positivos?
      Não direi que é uma fraude, mas um evidente abuso de confiança e um embuste. Conviria apurar não só o que diz, mas também porque aderiram tantos municípios. E sobretudo porque motivo ou motivos ninguém informou antes os cidadãos que se tratava afinal de “testes rápidos”, cuja fiabilidade sempre foi muito reduzida
      Em Tomar, de acordo com os 33 mil euros anunciados pela autarquia, terá custado 36 euros cada, um custo exagerado, que afinal apenas contribuiu para alarmar ainda mais a população, ao contrário do pretendido pela srª presidente.
      A ânsia de publicidade e a necessidade de aparecer, dão nestes dislates. Haverá mais.

  2. Tudo vale para divulgar a imagem do presidente da camara.
    Valeu este carro dos testes Covid, como valeu aquela competição pifia da gastronomia, e a outyra das maravilahs, e a outra, já não lembro de quê.
    Haja quem pague. Nós.
    Carrega, presidente!
    Chupa, eleitor!

    • Melhor dizendo, será divulgar a imagem (boa) da câmara, qualquer que seja o partido. Conhece alguma câmara que não seja assim? Funciona, porque a maioria do povo assim quer. Este é o preço a pagar pela democracia.

      • A doença é realmente geral. Todos os camaristas querem palco televisivo e nome na informação, para conquistar votos. Mas há nitidamente camaristas que abusam mais que outros. Tomar é sem sombra de dúvida um dos mais exagerados.

  3. Fiz o teste no dito camião no dia 30. Resultado negativo, comprovado com teste no dia 2, numa clinica. Não me sito enganada. Fui porque quis. Se era campanha política disfarçada, é o que todos fazem, até com coisas mais sérias ainda. Se há dinheiros públicos envolvidos, desconheço. Aproveitassem para realizar também um teste gratuito. Há dinheiros públicos muito mais mal investidos e poucos falam… ou nenhuns. Seja como for, vivemos em democracia e, concordemos ou não, o atual executivo ganhou as eleições. E, à semelhança de outros, procura realizar o seu trabalho, mal ou bem. ML

    • A sra dª Maria foi de facto enganada. Pensou que estava a fazer um teste fiável e, vai-se a ver, não foi o caso. Está porém no seu direito de não querer reconhecer que foi induzida em erro.
      Todas as suas outras desculpas são simples frases feitas, que evidenciam a sua opção partidária, que é um direito seu. Mas não tente intrujar os leitores.
      “Se há dinheiros públicos envolvidos”, a srª desconhece. Tão cândida! Comenta aqui no blogue, mas nem sequer leu que o abuso em questão custou 33 mil euros à autarquia.
      É por causa de atitudes fingidas como a sua que Tomar está como está, e com tendência para piorar. Mas é certo e sabido que, na altura que achar mais conveniente, a srª vai escrever que não tem nada a ver com o desastre. A culpa é sempre dos outros!

    • teve sorte. Houve pessoas a quem deu positivo e mais tarde negativo, que não podem dizer o mesmo. Não fiz o teste mas se tivesse feito e tivesse dado positivo ficaria preocupado, assim como os meus familiares.

  4. No meio de tanto entusiasmo crítico, convém recordar que estamos perante um vírus novo e que um teste hoje pode dar o seu contrário amanhã. E vice versa. Esse é o “apuro” que fiz, conforme sugeriu. Quanto aos muitos municípios que aderiram, tal é o retrato da política autárquica ah portuguesa e das suas vulnerabilidades. Quanto ah pandemia em geral e ah fiabilidade dos testes, tal como no futebol, no final é facil acertar nos resultados.

    • Mais devagar, Tomar ah ré!
      As coisas não são de todo como escreve. É realmente um virus novo. Mas todos os profissionais da área clínica sabem, praticamente desde o início, que os testes rápidos não são confiáveis, como mais uma vez ficou evidenciado neste caso. Donde, não é verdade que por o virus ser novo “um teste hoje pode dar o seu contrário amanhã”. Só acontece tal situação quando, após um teste rápido positivo, se procede a um outro teste PCR.
      Assim é que é. Nada de tentar escamotear realidades que não agradam.

  5. Permitam-me mais uma achega e uma pergunta.
    A achega é esta: Segundo o EXPRESSO online, (edição para assinantes), que pode consultar clicando neste link
    https://leitor.expresso.pt/semanario/semanario2511/html/primeiro-caderno/sociedade/perguntas–respostas
    Os testes rápidos podem custar entre 20 e 25 euros para particulares, e os PCR 65 euros e mais.
    Uma vez que em Tomar, dividindo os 33 mil euros que a câmara informou ter pago, pelos 889 testes rápidos efectuados, se obtém um cociente de 37, 12 €, a pergunta é óbvia, quem embolsou a diferença? É que sempre são 10.774 euros, para além do preço indicado de 25 euros cada teste rápido.
    E agora a pergunta inocente: O “camião da esperança” é uma iniciativa da TVI, para a qual a câmara de Tomar pagou 33 mil euros.
    Duas semanas depois da passagem do camião por Tomar, Anabela Freitas foi entrevistada pelo Goucha no seu programa da TVI.
    Não há qualquer relação entre as duas coisas, pois não?

  6. Já fomos demasiadas vezes contribuintes em larga escala para canais televisivos. 7 Maravilhas da Gastronomia emissão de dois telejornais de Tomar mais este camião da treta e certamente mais algum patrocínio que não me lembro. Só não avançou a Festa Tabuleiros no último concurso do Segadães e companhia porque foi travado a tempo. Tudo somado já deve rondar cerca de 250 mil euros. Uma bacatela

  7. O inventor do teste pcr kary Mullis, prêmio Nobel da física “morreu ” antes da plandemic por contestar o fauci que esse teste não era para doentes covid😂e vocês estão preocupados com a fanfarronice do camião tvi que seu maior sustento financeiro é a China? Pão e circo Romano para o Ze povo…..

Responder a Alves carvas Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Menino de 11 anos atropelado na rua de Coimbra

Necrologia