in ,

“Chuva” de pilaretes na av. Nuno Álvares Pereira

Moradores e comerciantes da parte sul da av. Nuno Álvares Pereira, em Tomar, foram surpreendidos esta semana com a colocação de dezenas de pilaretes num pequeno troço do passeio.

Quem olhe para aquela “chuva” de pilaretes pode pensar que se trata de uma instalação para um jogo de obstáculos.

“Aquela dos pilaretes no meio do passeio acho mesmo surreal”, criticou um morador no Facebook.

As críticas não ficam por aqui em relação a esta obra. Há falta de acessos a pessoas com mobilidade reduzida e há stands e oficinas que deixaram de ter acesso para automóveis uma vez que foram colocadas árvores ou candeeiros à frente dos respetivos portões.

A empreitada de requalificação desta avenida, o principal acesso sul à cidade, está a ser marcada desde o início por uma série de problemas. A obra custa mais de 870 mil euros, foi adjudicada pela câmara à empresa Carlos Gil – Obras Públicas, Construção Civil e Montagens Elétricas Lda., da Lousã, é já deveria estar concluída há vários meses.

 

Entretanto recebemos uma mensagem de uma moradora que também dá conta do seu descontentamento:

Moro na Avenida Nuno Alvares Pereira e fui surpreendido com as obras que se estão a fazer na Avenida. Há dias puseram uns palitos no passeio, não sei se é para jogar ao chinquilho ou para mudar para aqui o novo aeroporto, só sei que está um nojo. Quem mandou fazer este trabalho devia ter vergonha na cara pela porcaria que fez, todo este projeto está um nojo.

No estacionamento para os carros o espaço é curto, quando o passageiro sai do carro são cerca de 30cm tem de pisar a relva, o meu carro fica com a traseira junto à estrada, se for uma carrinha não cabe.

Já a pista que fizeram não serve para nada, a calçada é de péssima qualidade, duvido que os ciclistas passem por lá porque o passeio tem um piso bom.

Espero que a Sra. Presidente tenha bom senso e mande retificar esta asneira.

Georgina Oliveira

 

Proponha uma correção, sugira uma pista: 

Envie fotos e vídeos para ou por aqui

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. É no que dão as obras feitas por empresas com padrinhos no aparelho autárquico, a partir de projetos aprovados por esses mesmos padrinhos e assinados de cruz pelo executivo.

    • Onde está a estética urbanística? Os pilaretes em determinadas situações, é numa boa opção e necessária,
      apesar de eu prefirir outras soluções alternativas como o lancil duplo, ou o lancil com mais altura, ou mesmo a colocação de floreiras ou bancos. Por exemplo, em algumas cidades do Norte, a utilização do lancil com mais altura em granito, foi uma opção implementada com resultados excelentes. A forma como esses pilaretes estão instalados, constitui claramente um obstáculo ao peão. Já pararam para pensar nas pessoas que são utilizadores de cadeira de rodas ou um carrinho de bebé? Há que admitir que em determinados espaços públicos é necessário o recurso ao pilarete, mas há que estudar bem toda a estética urbana da cidade onde estes são realmente úteis e estes têm que estar sempre em consonância com a harmonia restante do espaço publico em causa.

  2. Peço desculpa pela minha ignorância, mas para que servem esses pilaretes no meio do passeio?

    Não faria mais sentido colocar esses pilaretes a separar o ciclovia com o estacionamento dos carros? É que é constantes os carros estarem lá estacionados em cima da ciclovia.

    E a propósito, uma opinião, acho horrível o passeio em betão, vai em contraste com o resto dos passeios da cidade em calçada; E a ciclovia em calçada? E nas partes laterais porque as pedras estão viradas ao contrário? Se calhar estou a ver ao contrário, a ciclovia é a parte junto aos edifícios, e o passeio junto ao estacionamento de carros, deve ser isso.

  3. Ao colocarem 2 ciclovias, uma de cada lado da estrada, será certamente para incentivar a prática de ciclismo urbano, contudo com a aplicação dos pilares estão a dificultar o acesso à aprendizagem pelos mais novos. Com a dimensão do passeio seria óptimo para os pais, moradores naquela zona, poderem usufruir do espaço, seguro, longe de veículos para incentivar os filhos a essa prática, com esses pilares não vejo viabilidade, nem funcionalidade.

  4. Bem,

    Falta de civismo, abuso, comodismo e falta de respeito pelo trabalho pelos automobilistas…

    Cidadão preocupado,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comando mais novo do país é de Tomar

Covid-19: número de casos volta a aumentar em Tomar