in ,

Matrena: o que resta de uma fábrica com 120 anos (c/ vídeo)

Se estivesse a funcionar, a fábrica de papel da Matrena teria completado este ano, 120 anos de atividade.

Esta antiga fábrica de papel construída nas margens do rio Nabão, na freguesia de Asseiceira, foi inaugurada a 15 de janeiro de 1900. Foi uma das principais fábricas de papel do concelho de Tomar e do país. Nos seus tempos áureos, chegou a empregar cerca de mil funcionários e tinha como clientes por exemplo a Xerox ou a Imprensa Nacional-Casa da Moeda. Em outubro de 1999, foi declarada insolvente.

Já neste século, após ter sido adquirida por uma outra empresa, voltou a laborar, até à fatídica manhã de 2 de janeiro de 2013, quando o seu proprietário morreu esmagado nos cilindros de um equipamento de grandes dimensões.

Pedro Costa publicou no Youtube um vídeo com imagens aéreas da fábrica onde é possível verificar o seu estado atual de crescente degradação.

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. Será este também o futuro da fábrica do Prado? Já começou o desmantelamento dos equipamentos após venda a um sucateiro. Uma indústria com mais de duzentos anos de existência acaba assim.

  2. Falta referir que na Fábrica de Porto de Cavaleiros a situação foi igual ou ainda foi pior: pura e simplesmente saqueada. Mas parece que para a grande maioria dos tomarenses importa é o turismo. Entretanto a cidade desertifica-se, envelhece e empobrece. O que ainda vai valendo para a economia local é o dinheiro do Estado através da função pública e dos reformados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Estátuas e música animam noite de sábado

Já marcado o funeral do bombeiro de Tomar