EconomiaDestaque

Jornal “Cidade de Tomar” comemora 89 anos em cenário de crise

- Publicidade -

Foi a 17 de março de 1935 que saiu o primeiro número do semanário “Cidade de Tomar”, o que faz deste órgão de comunicação social um dos mais antigos do país.

Mas aos 89 anos o jornal atravessa uma grave crise que faz temer pela sua viabilidade económica.

Desde o início do ano que a empresa editora está em Layoff, situação que se repete pela segunda vez.

Os trabalhadores têm ordenados em atraso e mostram-se pouco confiantes no seu futuro laboral.

Disso mesmo dão conta os jornalistas e colaboradores nos textos que publicam na edição de aniversário.

- Publicidade -

A chefe de redação, Ana Felício, refere a “crise profunda” que a imprensa vive, “anunciada, mas cada vez mais acentuada”.

Na sua perspetiva, “o sentimento dos jornalistas é unânime: “Por mais que se goste do que se faz, o romantismo não paga contas”. insegurança no emprego e os salários baixos praticados no setor são um grave obstáculo ao desenvolvimento pleno da profissão de jornalista. São entraves ao próprio direito dos cidadãos de serem informados livremente. Um jornalista que não consegue pagar as contas ou ter um mínimo de estabilidade no emprego é um jornalista condicionado no exercício do seu trabalho”.

O diretor António Madureira fala “num momento de enorme incerteza”, sem especificar. Mas sabe-se que pelos corredores do “Cidade de Tomar” já se fala em insolvência.

A jornalista Elsa Ribeira Gonçalves refere que quando iniciou a sua carreira jornalística em 2005, jamais imaginou “que a paixão pelo jornalismo seria acompanhada pelo espectro da angústia financeira”.

“Como muitos jornalistas, percebo que, apesar do amor pelo ofício, é necessário lidar com as demandas da vida quotidiana, como pagar contas e sustentar uma família. No entanto, diante das mudanças no cenário económico, surge esta reflexão: como podemos exercer a nossa profissão com paixão e dedicação se enfrentamos incertezas financeiras? Por mais paixão que tenhamos pelo que fazemos, não vivemos do ar”, alerta.

Atualmente com nove funcionários efetivos, a Empresa Editora Cidade de Tomar é proprietária do semanário “Cidade de Tomar”, “Rádio Cidade de Tomar”, “Rádio Vila de Rei” e RCE – Rádio Cultura e Espetáculos, na Golegã.

- Publicidade -

1 comentário

  1. é só parasitas que lá andam….os sócios que não abram os olhos…..nem o templario nem a rádio hertz se comparavam ao JCT e agora estão bem melhor…..as voltas que as coisas dão….

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo