EconomiaDestaque

Faturação no distrito de Santarém cresce 20% em 2021 em relação ao ano anterior

Os negócios do distrito de Santarém fecharam o ano de 2021 com um crescimento de 20% face ao registado no ano anterior, um crescimento fomentado em grande medida pela recuperação da faturação de origem estrangeira que se cifrou em mais 44% do que em 2020.

santar 2
Evolução Mensal da Faturação | REDUNIQ Insights

 

Estas são algumas das conclusões do relatório anual REDUNIQ Insights, que analisa a evolução transacional no sistema de retalho português e que sublinha ainda que Santarém foi um dos poucos distritos a nível nacional a registar um crescimento ao longo de todos os trimestres de 2021, em especial nos primeiros três meses do ano, altura em que os negócios da maioria das regiões portuguesas enfrentavam quebras decorrentes das medidas de mitigação da pandemia mais duras adotadas então.

Neste particular, o tecido retalhista do distrito escalabitano acabou por crescer 5% no 1º trimestre, 30% no segundo, 21% no terceiro e 23% no quarto.

Aliás, da análise dos relatórios REDUNIQ Insights que têm acompanhado o desempenho da economia nacional ao longo da pandemia, é de realçar a resiliência dos negócios da região ribatejana, uma vez que o distrito apenas registou resultados negativos entre março e junho de 2020 (fase mais critica da pandemia).

Não foi apenas o distrito de Santarém a colher resultados positivos de um ano marcado pelos avanços na vacinação e consequente relaxamento das medidas preventivas em relação à pandemia.

Em termos globais, em 2021 (em valores acumulados) verificou-se um crescimento da faturação total face a 2020 de 22%, sendo as regiões dos Açores, Madeira e Faro as que registam uma performance relativa superior a 30% (Açores – 56%, Madeira – 43% e Faro – 30%).

Quanto aos dois distritos mais populosos do país, em Lisboa observou-se uma variação homóloga anual positiva de 22% (valores superiores a 2019 a partir de setembro), enquanto o Porto acabou o ano com uma variação homóloga positiva de 18% (valores superiores a 2019 a partir de maio).

Em termos globais, a faturação da região ribatejana esteve em linha com o resto do país que acabaria por fechar o ano de 2021 com um crescimento acumulado de faturação na casa dos 22% face a 2020.

Faturação nacional foi o motor do crescimento da economia portuguesa em 2021

Desde que a pandemia se instalou no país originando uma série de constrangimentos à atividade turística, a faturação nacional tem contribuído decisivamente para a sustentação da economia portuguesa.

Segundo os dados do relatório anual REDUNIQ Insights, a faturação nacional recuperou mais rapidamente do que a faturação estrangeira (desde Abril que foram ultrapassados os níveis de 2019) tendo-se, contudo, assistido a uma recuperação desta última a partir do verão com o fim de algumas das limitações então em vigor.

Em consonância com este fator, o peso da faturação estrangeira acabou por ir aproximando-se gradualmente dos níveis de 2019, tendo registado em novembro uma subida de 175% face ao período homólogo e de 15% face ao período pré-pandémico em 2019.

Neste item de análise, o distrito de Santarém acabou registar, em 2021, crescimentos de 19% na faturação de origem nacional e de 44% na faturação de origem estrangeira face a 2020.

santar 3
Faturação Nacional e Estrangeira | REDUNIQ Insights

Pagamentos com tecnologia contactless alimentam recuperação

De acordo com o relatório, os pagamentos com utilização da tecnologia contactless acabaram por ser determinantes na recuperação da faturação dos negócios portugueses.

Esta importância fica bem expressa não só no crescimento que o contactless registou no ano passado (+126%) em relação a 2020, mas também no peso que este tipo de pagamentos tem na faturação total dos negócios.

Se, em janeiro de 2020, 10% da faturação total dos negócios portugueses se devia a esta tecnologia, em dezembro de 2021 os pagamentos contactless representavam já 58% da faturação total e tomavam parte em 71% das transações realizadas.

Como sublinha o relatório,” esta consolidação dos pagamentos sem contacto vem comprovar uma crescente adesão dos portugueses a novas formas de pagar baseadas na utilização do smartphone ou wearables”, novos hábitos de consumo que acabam, consequentemente, por “imporem” aos negócios a necessidade de ajustarem a sua oferta em matéria de meios de pagamento.

Percebendo esta necessidade, a REDUNIQ, está a ajudar os retalhistas portugueses a entrarem na rota do crescimento através do desenvolvimento tecnológico de terminais de pagamento (TPA) inovadores, como é o caso do terminal de pagamento automático Android REDUNIQ Smart.

Para além de permitir que as lojas físicas aceitem pagamentos contactless com cartão, chip, MB WAY, Google Pay e Apple Pay, este terminal de última geração traz incorporadas um conjunto de apps de gestão que as vão permitir ser totalmente móveis e digitais.

Sobre o REDUNIQ Insights

O REDUNIQ Insights, que resulta da parceria entre a REDUNIQ (maior rede de aceitação de cartões nacionais e estrangeiros em Portugal) e a Return on Ideas (empresa de estratégia e consumer knowledge), é uma solução de conhecimento que pretende disponibilizar análises com base em informação sobre a atividade do retalho nacional, suportando empresas na geração de insights e na tomada de decisões de desenvolvimento dos seus negócios.

As informações recolhidas para a elaboração deste relatório refletem a dinâmica de entrada de novos pontos de venda no sistema REDUNIQ, a necessidade percebida pelos retalhistas de passarem a oferecer meios de pagamento alternativos aos seus clientes levou a um aumento da procura de TPA Contactless da REDUNIQ, e projetam o efeito de transferência para meios eletrónicos de pagamentos historicamente feitos em dinheiro vivo.

Percebidas como um todo, estas duas variantes ajudaram a desenhar o mapa detalhado da evolução transacional no sistema de Retalho português plasmado neste e em relatórios anteriores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo