in ,

PSD questiona convívio financiado pela câmara a três semanas das eleições

“Não há dinheiro para as juntas de freguesia mas há dinheiro para mega-convívios a três semanas das eleições”. A denúncia foi feita pelo PSD de Tomar numa conferência de imprensa realizada no dia 13 na sede do partido.

Além de acusarem a comissão da festa dos tabuleiros de falta de transparência e de falta de diálogo, os dirigentes do PSD acusaram a câmara de Tomar de estar a financiar um convívio da festa a três semanas das eleições naquilo de consideram ser uma ação de campanha eleitoral por parte do PS.

Refira-se que a câmara aprovou atribuir mais 70 mil euros à comissão da festa dos Tabuleiros que entretanto anunciou um convívio de todos os participantes da festa para dia 14 de setembro no Mouchão. Inicialmente, o subsídio seria para ajudar a pagar o papel e os espetáculos da festa.

Outro aspeto denunciado pelos presidentes de junta do PSD é que em festas anteriores a comissão atribuía uma verba por cada tabuleiro, que podia ir dos 5 a 10 euros ou mais, para compensar a despesa que as juntas tiveram com os tabuleiros e a festa. No entanto, até agora nada foi atribuído e as contas da festa ainda não foram apresentadas.

Por exemplo, a junta de freguesia de Casais/Alviobeira teve de suspender a obra do cemitério e teve de reduzir para metade a verba atribuída ao centro escolar por causa da despesa com a festa dos tabuleiros.

Antes da sessão de perguntas e respostas, a líder do PSD Tomar e também presidente da junta de S. Pedro, Lurdes Ferromau Fernandes, leu um comunicado sobre o assunto, que a seguir transcrevemos:

“Começo por agradecer a vossa presença aqui hoje, nesta Conferência de Imprensa organizada pela Comissão Política do PSD de Tomar em colaboração com os Presidentes de Junta de Freguesia do PSD.

Como é do conhecimento de todos, há muito que o Partido Social Democrata se tem batido pela transparência e equidade na transferência de verbas municipais para as Juntas de Freguesia.

Em ano de realização da Festa dos Tabuleiros, as freguesias são chamadas a participar na organização, dando um contributo determinante para o sucesso da Festa que todos ambicionamos.

Um contributo que se limita a despesa, não havendo uma participação efetiva nas tomadas de decisão, apesar das Juntas de Freguesia pertencerem à Comissão Central da Festa.

Cabe em grande parte às Juntas de Freguesia a responsabilidade de colocar o cortejo na rua, o que representa obviamente um esforço financeiro elevado.

Falamos de milhares de euros de despesa diretamente do orçamento das freguesias sem correspondência do lado da receita que, como facilmente perceberão, tem um impacto brutal na gestão da freguesia no corrente ano, causando constrangimentos desde os projetos de investimento à gestão corrente, com repercussões em anos seguintes.

Despesas como confeção de tabuleiros e de roupas, pão, pintura de coroas, deslocações e refeições facilmente se traduzem numa fatia bastante significativa do orçamento das freguesias.

Das várias vezes que a governação socialista tem sido confrontada pelos autarcas do PSD, em particular pelos Presidentes de Junta de Freguesia, com a necessidade de reforço nas transferências para as freguesias, a resposta é invariavelmente a mesma: não há dinheiro.

Foi, por isso, com muito espanto que constatámos que a Câmara Municipal aprovou, por iniciativa do Partido Socialista, a transferência de 70 mil euros para a Comissão da Festa dos Tabuleiros, supostamente para fazer face à urgência de pagamento de papel para elaboração de flores, que agora organiza um mega convívio para milhares de pessoas.

Estão ou não estão as prioridades de quem governa deturpadas? Milhares de euros para financiar uma festa em plena época de incêndios, quando os equipamentos de proteção civil nas freguesias necessitam de serem reforçados, com obras necessárias nas freguesias – das estradas aos cemitérios. É isto que o PS tem como prioritário?

Será o timing deste evento, a apenas 3 semanas das eleições legislativas, que o torna uma prioridade para o Partido Socialista?

Somos pela Festa dos Tabuleiros, a festa de todos os tomarenses. E é precisamente por isso, que defendemos a dignidade das Juntas de Freguesia, para que o seu contributo não se esgote, seja na Festa seja no desenvolvimento do nosso território”.

Tomar, 13 de agosto de 2019

Comissão Política do PSD de Tomar

Escrita por Redação

Comentários

Leave a Reply
  1. É quase sempre assim. Após os assaltos, os problemas entre os salteadores aparecem quando é tempo de dividir o conseguido. Por uma vez, Tomar não é exceção.

  2. Não sou natural de Tomar mas agora vivo ca, já tinha ouvido falar da festa dos tabuleiros por isso era grande a expectativa mas em pouco tempo percebi que era mais fogo de artificio, não consigo compreender porque tanto dinheiro e tanta confusão em quem :MANDA: uma festa que perdeu o seu verdadeiro encanto a partir do momento em que o que conta são os euros, melhor dizendo Milhares de euros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Projeto de Tomar ganha 30 mil euros no Orçamento Participativo Jovem

O festival Bons Sons em números