DestaqueSociedade

Há 13 vagas para o futuro Comando de Proteção Civil do Médio Tejo

- Publicidade -

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil abriu concurso para 13 vagas destinadas ao pessoal que vai trabalhar no futuro Comando Sub-regional de Emergência e Proteção Civil do Médio Tejo, situado na rua Francisco Sá Carneiro (antiga escola), na Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha.

As candidaturas estão abertas até dia 24 de novembro.

Segundo o anúncio, podem candidatar-se “os trabalhadores detentores de vínculo de emprego público, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas, constituído por tempo indeterminado, ou a trabalhadores enquadrados nas situações previstas no Regulamento de Incentivos à Prestação de Serviço Militar, em RC ou RV, para preenchimento de postos de trabalho na carreira/categoria de assistente técnico, previstos e não ocupados no mapa de pessoal da ANEPC”.

As candidaturas devem ser formalizadas através do preenchimento do formulário disponível na página eletrónica da ANEPC, www.prociv.pt, que deverá ser dirigido ao Presidente da ANEPC por correio registado com aviso de receção ou entregue em mão na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, em Carnaxide.

A remuneração é de 757 euros (assistente técnico), com suplemento de turno + 25%.

- Publicidade -

 

Mais informação aqui

 

- Publicidade -

7 comentários

    1. Não tenha dúvidas caro Carlos, de 198 postos de trabalho que estão a criar a nível nacional, 13 dos quais no Médio Tejo, quantos destes estão destinados a amigalhaços já colocados no sistema.
      E dos poucos ou nenhuns que restam, ficam para a mobilidade interna.
      E num governo tão rico com o nosso, que cada vez mais empobrece o nosso povo, era digno abrirem vagas para quem não trabalha no setor público, mas não… vai-se retirar meios a hospitais, municípios e outros locais que já por si estão desfalcados.
      É mais uma abertura de uma porta rumo ao declínio….

  1. A mim preocupa-me mais a localização do futuro Comando Sub-regional de Emergência e Proteção Civil do Médio Tejo… se a barragem de Castelo de Bode estiver cheia e a barragem rebentar (sei lá: falha estrutural, falha após terramoto, etc.) esse comando não está no caminho da destruição? Se sim, ninguém pensa nestas coisas?

      1. Não está previsto nenhuma queda de um meteorito com 116 km nos próximos séculos, se algo assim acontecesse acabava pelo menos a vida humana na Terra, e a vida humana ainda deve continuar por mais uns 1000 e tal anos.

        1. Pois não, amigo João. Foi uma paródia minha inspirada no filme “Até que o fim do mundo nos separe”. Se gosta de bom cinema aconselho-o a ver este filme magnificamente protagonizado por Steve Carell.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo