in ,

A “onda” de André Rieu, a compra de bilhetes e a procura de lugares de bancada na festa dos tabuleiros

A opinião de António Freitas

andre rieu

O fenómeno de André Rieu em Portugal continua. Depois de o maestro e violinista holandês ter praticamente esgotado sete concertos na Altice Arena, em Lisboa, durante este mês de março foram marcadas novas datas de concertos e André Rieu iria voltar à capital portuguesa, com a sua orquestra, para atuar a 20 e 21, 22 e 28 Novembro e com bilhetes esgotados . Os espetáculos são uma enorme festa — em que as pessoas bebem, comem e dançam, algo que é bastante incomum para os concertos de música clássica, onde é habitual haver um silêncio de cerimónia e uma certa contenção na forma de estar.

A performance é feita por 60 músicos e prolonga-se durante cerca de duas horas e meia (tem um pequeno intervalo). O staff conta com 120 pessoas para assegurar que não existem falhas.

O holandês já é o músico com mais concertos consecutivos de sempre na Altice Arena. Ultrapassou nomes como os Metallica, Roberto Carlos, Adele, Muse, Madonna, Roger Waters, Michael Bublé e Tony Carreira.

Respondendo a um desafio, comprei 50 bilhetes para “os tomarenses amigos” para o concerto do dia 22 de Novembro e em menos de 48 horas estavam todos vendidos. Na compra, mais de dois mil euros (destes bilhetes) entraram logo nos cofres da empresa organizadora, que vai-se governar com um encaixe de milhares de euros durante oito meses.

Os negócios são assim. Apostam mas têm a certeza que tudo está vendido!

Este ano temos a festa dos tabuleiros, como todos sabemos e foram anunciadas bancadas na Avª Cândido Madureira, um local excelente para ver os tabuleiros cedinho e ainda fresquinhos, que passando para “parte nova da cidade” só tarde e más horas, atendendo que teimam em sair da Mata às 16H00 quando se impunha às 14H30 no máximo.

 

Excelente iniciativa da Câmara

Há anos que defendo não 500 lugares de bancadas, pagos, mas sim 15 mil que se vendem, depressa e bem. Logo que foi tornado pública esta feliz decisão (que paga o aluguer de bancadas, montagem e segurança) e,  em que o espectador paga, mas quer é estar bem instalado e ver um digníssimo espectáculo, dezenas e dezenas de pessoas me questionam onde podem comprar já os bilhetes.

Não sei, ninguém sabe e bem se podiam vender em planta, com uma App ou na Internet ou entregar à Ticket Online essa venda, que é comissionável e em qualquer parte do país ou do mundo, se reserva, paga e se imprime o bilhete.

É fácil e entra logo o dinheiro. Garanto que à minha conta vendia 200 lugares já (a preços entre 10 e 15 Euros)

No entanto, enquanto se vai a Madrid à Fitur, à BTL, a Aveiro (feira de Março) e dentro de dias à Guarda à Feira Ibérica de Turismo, em Tomar “pensa-se pequenino” e não há estratégia de em planta,  com uma aplicação informática de forma de “sacar” já o dinheiro da venda, junto das agências de viagem.

Por exemplo para a festa da Madeira de 2020 já posso comprar lugares de bancada. Em Tomar somos mesmo uns amadores e em vez de se andar nas feiras de turismo com Apps a tirar fotos virtuais que metem o tabuleiro à cabeça do fotografado, mandem desenvolver uma aplicação que permita, sem demora,  a reserva e compra de lugares e não estarem à espera de colocarem bilheteiras nas ruas para os vender no dia ou na véspera. Isso já não se usa, e quando se usa, como da outra vez, os lugares de bancada até dizem que deram prejuízo!

                                                                          António Freitas

Avatar of António Freitas

Escrita por António Freitas

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0
ramal de Tomar comboio

De comboio entre Tomar e Entroncamento (c/ vídeo)

incendio 1556157253868166128 n

Pena suspensa para incendiário de Alviobeira