SociedadeDestaque

Um tomarense atraído pela “energia positiva” do Brasil

João Neves, filho mais novo do fundador da pastelaria Estrelas de Tomar, é mais um caso de tomarense que passa a maior parte do ano no Brasil. Quando está na sua terra Natal ajuda na pastelaria sobretudo a vender o emblemático doce “Beija-me Depressa”. Mas o Brasil é, literalmente, a sua praia, como nos explica nesta entrevista.

 

Porque optou deixar Tomar e viver no Brasil? Em que zona se encontra?

– Optei por viver no Brasil, porque sempre fui, sou e serei um amante da praia, do mar, do surf. Vivo no Prado, extremo sul da Bahia, a 900 km da capital Salvador da Bahia

Como é a sua vida no Brasil?

– A minha vida no Brasil, resume-se facilmente: praia a partir das 6 da manhã, piscina pela tarde, e caipirinhas noite dentro…

Aponte alguns aspetos positivos e negativos de viver no Brasil

– Positivamente, o Brasil tem por excelência clima, comida, praias, mar, paisagens, fazendas, cultura diversa… e pela negativa registo a saúde, segurança e ensino.

Vem regularmente a Portugal?

– Todos anos entre maio e setembro volto para trabalhar (porque ainda faltam 5 anos para a aposentadoria, e ajudar a família no negócio, principalmente no verão)

Quais as características das mulheres brasileiras que mais atraem os portugueses?

– A mulher brasileira Baiana, na maioria é meiga, comunicativa, paciente, adora crianças e é rainha na cozinha. Não é à toa que dizem que a Bahia tem o melhor tempero, e o melhor cardápio do Brasil.

Como explica o aumento da união entre portugueses e brasileiras?

– A simplicidade, o carinho. Sente-se a “energia positiva”. O brasileiro/brasileira ‘vivem” a vida hora a hora… é difícil explicar, há um conjunto de factores que juntos fazem a explosão…

Que conselhos dá a quem queira sair de Portugal e viver no Brasil?

– Acho que quem queira fazer essa experiência, deve ter em conta o que quer da vida. A razão para sair de cá, o que vai encontrar, saber para onde ir. Estudar a região e questionar-se se é viável para um futuro. Eu pessoalmente, moro a 800 metros da praia, sinto o cheiro a mar, ouço as ondas na maré alta (preia-mar). Vivo com as tartarugas, golfinhos e siris, o que não troco por nada nesta vida!!!

Tenciona regressar um dia a Tomar definitivamente?

– Não penso em voltar a viver em Tomar, passar 5 meses por ano já é suficiente…

2 comentários

  1. Parece um incentivo a trabalhar o minimo indispensavel….fizessemos todos o mesmo…ja a pastelaria tinha fechado e todos os outros negócios tambem….alguem tem que segurar as pontas 12 meses no ano…quem puder que aproveite…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo