in ,

Suspensas escavações para encontrar 1ª pedra do monumento aos mortos da Grande Guerra

Não foi encontrada a caixa de chumbo onde se encontra o pergaminho da 1ª pedra do monumento aos mortos da Grande Guerra em Tomar. Ao fim da tarde desta terça feira, dia 3, os trabalhos de escavação foram suspensos uma vez que não foram localizados os objetos.

Além da referida caixa de chumbo, a imprensa da época refere que foi colocada também debaixo da terra uma pedra que veio do castelo.

A pressão do empreiteiro para acabar a obra, a juntar ao desinteresse da câmara neste processo, levam a que não se prossigam as pesquisas.

A grande laje que servia de base ao pedestal da estátua já foi recolocada no lugar.

O grupo Gabinete de Curiosidades de Tomar emitiu um esclarecimento sobre o assunto:

COMUNICADO – RECTIFICAÇÃO
Monumento aos Mortos da Grande Guerra de Tomar.
Por inépcia nossa, foram por nós recentemente publicados alguns “artigos” acerca deste Monumento, que chamavam a atenção para o facto de, nas suas fundações, estarem depositados OSSOS DE COMBATENTES da 1ª Guerra Mundial.
Sobre este assunto, e sobre o conjunto de repercussões que destas publicações resultaram, tivemos a oportunidade de ser esclarecidos pela Liga dos Combatentes, na pessoa do dirigente local o Sr. Tenente Coronel Cosme da Silva.
DE FACTO NUNCA ALI FORAM ENTERRADOS QUAISQUER OSSADAS. Tal prática não se realiza em Portugal, com excepção solene do enterramento existente no Mosteiro de Santa Maria da Vitória – Batalha.
A Liga dos Combatentes SEMPRE ACOMPANHOU TODO O PROCESSO DE MUDANÇA DO MONUMENTO, desde o seu projecto.
Esta mesma Liga e os seus membros pugnam pela dignidade da memória de todos os combatentes, nomeadamente pelos caídos em combate. Exactamente porque a imprecisão e carácter erróneo das nossas publicações colocou esse prestigio em causa, tornou-se necessário chegar à fala com os administradores deste grupo e prestar os esclarecimentos que se impunham e que muito agradecemos.
Em tom de balanço sobre este caso, ficamos com a noção de que as Redes Sociais, quando utilizadas com bom senso, verdade e correcção, podem contribuir para a elevação socio-cultural de uma comunidade.
Por fim, não podemos deixar de apresentar as nossas DESCULPAS FORMAIS às pessoas e instituições que, de algum modo, possam ter sido prejudicadas com estas publicações.
[sobre este assunto, brevemente faremos uma publicação estabelecendo a fantástica cronologia deste monumento, desde o seu sonho, o lançamento da primeira pedra em meados da década de 20 (que a foto retrata), a subscrição pública ao longo de anos e finalmente a sua inauguração num 11 de Novembro da década de 30.]
Lançamento da primeira pedra para a construção do
Monumento ao Soldado Desconhecido

“Em busca da arca perdida” na Várzea Grande

Escrita por Redação

Comentários

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Vandalismo no aqueduto dos Pegões

CALMA já tem nova sede na antiga escola primária Infante D. Henrique