in

Rui Salvador celebrou 35 anos de alternativa no Campo Pequeno

Em corrida dedicada ao “emigrante”

Rui Salvador

O Campo Pequeno recebeu no dia 8 de Agosto, mais uma corrida do seu programa anual tauromáquico.  Numa altura em que os emigrantes estão em força entre nós a corrida intitulada ao Emigrante, transmitida pela TVI,  tinha quase praça cheia (cerca de ¾) mas emigrantes muito poucos; os aficionados habituais e muito turista entre franceses e japoneses. Após as cortesias foi chamado ao centro da Praça o cavaleiro tomarense Rui Salvador que celebrou os 35 anos de alternativa recebendo da administração da praça uma placa alusiva.

Com 35 anos de alternativa, Rui Salvador, segundo as notícias dos serviços de imprensa do Campo Pequeno “pertence a uma “ínclita geração” de cavaleiros que marca, definitivamente, uma época no toureio a cavalo, pela apreciável quantidade e elevada quantidade de cada um deles. Quando tomou a alternativa (Campo Pequeno, 9 de Agosto de 1984, tendo por padrinho José Mestre Batista), Rui Salvador já era conhecido como “o cavaleiro dos ferros impossíveis”, tal a emoção que colocava e o elevado risco que suportava, sobretudo quando cravava os “curtos” em quiebros inimagináveis. Hoje em dia, o seu toureio é mais repousado, ganhando em temple e profundidade, permanecendo, contudo, inalterada a determinação com que enfrenta cada toiro, num profundo respeito por um público que, sabe, lhe tem sido fiel ao longo da sua carreira.

Cavaleiro versátil, Rui Salvador entrega-se de alma e coração em cada lide, numa ânsia de superação capaz de competir com a dos mais jovens que procuram singrar no difícil caminho que leva ao triunfo e à glória”. Porém esta noite, mesmo tendo os forcados de Tomar em cartel, a corrida não foi à altura da homenagem que recebeu.

Em cartel, e além do já referido Rui Salvador, estiveram os cavaleiros João Moura e Luís Rouxinol.  E a noite foi de Luís Rouxinol, frente a touros da ganadaria Veiga Teixeira. Os  Forcados  convidados foram os Amadores de Tomar, São Manços e Caldas da Rainha.

O destaque nas lides equestres vai para Luís Rouxinol,  que toureou em dia de aniversário, esteve inspirado e desenvolveu duas lides de qualidade elevada. Soube entender os touros que teve por diante, de distintos comportamentos, com o primeiro (terceiro da noite) a exigir mais do cavaleiro de Pegões e este a responder com todos os trunfos de que dispõe e que fazem dele um dos melhores na sua arte.

João Moura, teve duas passagens dignas e meritórias pela arena lisboeta e nos dois touros que lidou teve momentos em que demonstrou o porquê de ser referência para muitos nesta área.

Rui Salvador, o toureiro, apelidado dos ferros impossíveis, esteve esforçado nas suas duas lides e demonstrou algumas das suas  valências mas a noite nem os toiros lhe saíram de feição.  Quanto aos forcados de Tomar, na “Catedral do toureio”, além de Zeca Pereira, nosso presidente da Assembleia Municipal,  o cabo do Grupo Marco Fernando,  que deixou a liderança do grupo na Corrida do Emigrante, realizada no dia 9 na Praça José Salvador em Tomar

Marco Fernando, cabo do Grupo de Forcados Amadores de Tomar desde 2014, deixa a liderança do grupo e passa o testemunho para Hélder Parker, forcado deste grupo desde 2005. Marco Fernando com 43 anos, referia a Imprensa, que tomou a decisão porque precisa de mais tempo para a família, agora que tem uma filha de 10 meses. No entanto, vai continuar no grupo como forcado.

O cabo refere que as funções implicam muita responsabilidade e que num dia em que há corrida sai de casa às seis da manhã, regressando cerca de 24 horas depois. Além disso tem de arranjar corridas para o grupo, “o que nem sempre é fácil”. Marco Fernando é forcado desde os 14 anos.

Neste Corrida do Emigrante no Campo Pequeno, houve “alguma porrada” do toiro sobre os forcados dos três grupos.

No sector das pegas, foram caras Ricardo Silva (2ª tentativa) e Luís Campino (1ª tentativa), pelos Amadores de Tomar; Pedro Fonseca foi dobrado por Jorge Valadas, após duas tentativas mal sucedidas e saindo lesionado, tendo Jorge Valadas pegado à sua segunda tentativa (4ª tentativa) e João Fortunato (2ª tentativa), pelos Amadores de São Manços; Francisco Mascarenhas (4ª tentativa) e Lourenço Palha (1ª tentativa), pelos Amadores das Caldas da Rainha.

                                                                                   António Freitas

Escrita por António Freitas

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Roteiro das festas para o fim de semana

Seis forcados foram parar ao hospital na corrida de toiros de Tomar