in ,

Razia total nas árvores da Várzea Grande

Com o evoluir das obras na Várzea Grande em Tomar, a zona envolvente ao tribunal, à escola primária e ao terreno da antiga messe, apresenta-se cada vez mais despida.

Já foram abatidas algumas árvores no largo da Saboaria, ao lado da escola, e esta semana foram abaixo as árvores do lado nascente do tribunal. O projeto prevê o abate de todas as árvores e a plantação de novas. A última amoreira das muitas que existiam naquela zona também foi abatida e não está prevista a plantação de qualquer exemplar desta espécie.

Com cada vez menos lugares para estacionar, a Várzea Grande é uma dor de cabeça para os automobilistas, para os peões e para os pais que têm de ir levar e buscar as crianças à escola. O largo do mercado revela-se o espaço alternativo onde cada vez mais automobilistas estacionam. Isto enquanto tarda em concretizar-se a promessa de um parque de estacionamento no terreno ao lado da estação ferroviária.

Entretanto, em vez de haver maior condescendência por parte da polícia enquanto duram as obras, pelo contrário, têm-se intensificado as ações de fiscalização, a aplicação de coimas e o reboque de viaturas.

 

Nota: a plantação de amoreiras naquela zona há cerca de 200 anos deveu-se ao facto de, nessa época, funcionar uma fábrica de seda no palácio Alvaiázere, onde atualmente funciona o registo civil e o tribunal de trabalho. A última amoreira foi abatida há poucas semanas.

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. Nem vale a pena repetir-me! É óbvia a intenção dos camareiros proceder ao abate do arvoredo de Tomar para transformar este burgo cada vez mais mal frequentado num deserto de pedra.

  2. Se aquela zona é toda para requalificar, e plantar árvores novas, obviamente estas tinham que sair., certas pessoas é que gostam de contestar tudo.

  3. Nos últimos 30 anos, tudo o que é vivo parece ser para abater em Tomar. Safam-se os tomarenses porque tem que haver votantes para manter as classes políticas que têm afundado a cidade…

    • Tomar uma “cidade” sem futuro ou pelo menos um futuro risonho.
      Obras de fachada apenas para a fotografia e sem qualquer utilidade( a parte de esgotos, água é o único senão favorável) , muito mal planeadas e a esbanjar recursos financeiros tão importantes.

  4. O problema é que também a autarquia devia explicar aos munícipes o que vai fazer ali. Os autarcas acham que não tem que dar explicações de nada e esquecem-se que são SÓ poder executivo. Não mandam, só executam.

    • O que vai ser feito foi explicado pelo executivo com bem diz o sr Pompeu.
      O único senão, é que no horário que foi, a grande maioria das pessoas trabalha, como tal a disponibilidade é nula…. Deveria ser em horário nocturno ou durante o dia ao fim de semana.
      Uma obra com um projecto bonito, apenas isso…. Utilidade=zero…. Custos =exorbitantes atendendo ao custo/benefício do projecto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Fábrica de papel da Matrena inaugurada há 120 anos

Thor continua desaparecido