in

Rancho Folclórico e Etnográfico de Alviobeira comemorou 31º aniversário

Cerca de 150 pessoas responderam ao convite a participaram, no salão paroquial de Alviobeira, ao almoço do 31º aniversário do Rancho Folclórico e Etnográfico de Alviobeira que contou com a presença da presidente da Câmara e da Junta de freguesia. As mesas, num ano de Festa dos Tabuleiros, faziam alusão à Festa do Divino Espírito Santo, em que as coroas dos tabuleiros, cedidas pela junta e alguns ícones como o pão e  a pomba assim como alguns adereços dos membros do rancho que serviam às mesas.

Manuela Santos, directora técnica,  refere na página do rancho no facebook:

“Mais um aniversário! Já lá vão 31 anos! 

Parece que foi ontem que tudo começou! Um grupo de jovens destemidos e cheios de sonhos decidiu fazer um Rancho! 

Precisou na altura de apoio de “gente mais crescida” e conseguiu. 

Nascia em 1988, nos saudosos anos 80, o RFEA e com ele uma aventura única e mágica! 
No passado dia 7 de Abril, reunimos à mesa, amigos, familiares, Alviobeirenses de nascimento e de coração, dando desta forma início ao programa das comemorações do nosso aniversário.

Agradecemos a todos aqueles que ano após ano marcam presença no nosso almoço, sem a vossa ajuda e apoio nada disto seria possível. 

… porque juntos somos mais fortes!” Vamos fazendo Alviobeira Acontecer!”

 

Homenagem a António João Antunes

Neste Sábado, dia 13 de Abril, a partir das 18H00, terá lugar o descerramento das placas com nova denominação da Rua do Comércio, que passa a ser denominada Rua António João Antunes (antiga Rua do Comércio). O ex-autarca, já falecido, foi membro fundador do rancho. Após a cerimónia oficial segue-se, na sede do CR Cultural de Alviobeira, uma Gala de aniversário dedicada à sua vida e obra.

Esta nova denominação segue os trâmites de uma aprovação da Assembleia de Freguesia de Alviobeira em Dezembro de 2010, um mês após a sua morte e que agora a Câmara, aprovou e deliberou nesse sentido.

Apesar de alguns hipotéticos transtornos na mudança dos documentos dos residentes desta rua e de alguma informação mal prestada por serviços públicos o que leva as pessoas a serem  avessas à mudança, informa-se que, por exemplo a Carta de Condução deixou de ter a obrigatoriedade da menção da morada e que a morada de qualquer cidadão é a sua morada, para todos e quaisquer efeitos é a que consta do cartão de cidadão.

Pode-se fazer essa mudança, gratuitamente, mantendo o mesmo cartão (o cartão cidadão não tem a menção da morada à vista – está no chip) com um computador, com leitor de cartão cidadão e usando a chave de autenticação (carta recebida aquando da sua renovação) ou indo a uma Conservatória Registo Civil, ou aquando da sua renovação, dado não ser documento vitalício e indicar a nova morada que vai constar nos registos de toponímia de Alviobeira. Uma carta com a morada antiga ou a nova chega ao seu destino pois a rua terá as duas denominações.

                            António Freitas

 

Escrita por António Freitas

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Trânsito cortado na av. D. Maria II

Torres Novas: mulher julgada por abuso sexual de dois menores