in ,

Nos 70 anos do “bairro Salazar”

Foi a 30 de outubro de 1949, faz agora 70 anos, que aconteceu a inauguração de “importantes melhoramentos” na cidade como o bairro 1º de Maio, na altura chamado bairro Salazar, e a estalagem de Santa Iria no Mouchão, em Tomar.

Constituído por 100 casas “para famílias pobres”, o bairro foi inaugurado pelo subsecretário de estado das obras públicas, Saraiva e Sousa.

Além do bairro e da estalagem, inaugurou a escola primária Santo António, o parque municipal do Mouchão e a Estalagem de Santa Iria. O membro do governo descerrou ainda uma lápide que atribuía o nome de José Frederico Ulrich ao novo campo de jogos, atual estádio municipal.

Nessa altura era presidente da câmara de Tomar o então major Fernando de Oliveira.

Fotos e recortes (do jornal Cidade de Tomar) em http://www.mdthomar.ipt.pt/

Escrita por Redação

Comentários

Leave a Reply
  1. Isso foi no tempo em que o então presidente da câmara, que não era eleito pelo povo mas escolhido pelo governo, se preocupava com o progresso da cidade e não com a imagem pública. Não precisava de comprar votos, é verdade. Mas Bairro Salazar, Estalagem, Capela, Estádio, Mercado, tudo nos mesmos mandatos, é obra.
    70 anos mais tarde, o presidente da câmara de então, que morreu pobre em 1975, tem o seu nome numa modesta rua do bairro da caixa e uma envergonhada pequena coluna medalhão no jardim da Várzea Pequena.
    Em contrapartida, o sr Luís Bonet, por exemplo, tem o seu nome na av. da Ponte do Flecheiro. Anterior chefe de posto na colónia de Angola, não consta que como autarca tenha deixado qualquer obra.
    Os tomarenses são assim. O general Fernando de Oliveira teve sucesso e por isso não passa de um reles fascista. O sr. Bonet foi o primeiro fracasso eleito pelo PS e por isso foi um excelente cidadão. Progressista, ainda para mais.

  2. Uma imagem degradante, esta, a do bairro Salazar. Condizente com a edilidade que temos. E que não se diga que esta foto está modificada. Todo o bairro tem este aspecto desleixado e carente de intervenção. Estivesse ele ocupado por certos habitantes desta nobre urbe e certamente o aspecto sérios outro…

    • Tem razão. O bairro como está devia ser uma vergonha para todos. A começar pelos que foram eleitos e são pagos para governar. Aquilo que era do melhor há sete décadas, agora é um triste anacronismo. Para não dizer pior.
      Como sempre acontece com a malta dita de esquerda, foi fácil mudar-lhe o nome para bairro 1º de Maio. Reabilitar tudo aquillo é outra música. E à excepção do Cristóvão, os tais eleitos nem solfejo sabem. Vão-se contentanto portanto com uns arranjos casa a casa, regra geral para alojar famílias ciganas. Os maus resultados começam a estar à vista, mesmo dos mais desprevenidos. Os socialistas contudo mais não fazem porque não lhes convém. A população que vai evoluindo na vida deixa de votar PS. Convém por isso mantê-los na dependência. Eventos, petiscos, passeios e conversas, em vez de empresas, postos de trabalho, investimentos produtivos ou estruturas básicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Foto do dia

Desaparecimento de José Augusto em destaque na SIC