in ,

Música em volume alto não deixa descansar moradores

Foi uma noite difícil e quase em branco (de sábado para domingo) para quem mora na rua António Joaquim Araújo em Tomar. A música em volume alto que vinha do novo bairro de famílias ciganas, ao lado da GNR, ecoava e não deixava descansar os moradores.

Recebemos várias mensagens a dar conta do problema e a lamentar que as autoridades, neste caso a PSP, não atuem.

A situação não é nova e as queixas dos moradores são recorrentes.

Moradores queixam-se do barulho no novo bairro (c/ vídeo)

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. Pelos vistos o barulho não era assim tanto, pelos vistos os GNR não foram incomodados e até deviam estar a dormir…! Mas se a PSP não faz nada, há sempre uma solução caseira: zagalotes e um tapa-chamas, e se quiserm cortar o mal pela raiz e devez também arranjo um Rpg.
    A ciganada devia era ter sido colocada mesmo em frente a casa da pessoa que se diz ser presidente da câmara .

  2. São minoria, não podem, nem devem ser, discriminados, mesmo que não respeitem a lei.
    Os seus direitos têm que ser salvaguardados, mesmo que ruidosos.
    Estão isentos de deveres, porque são minoria.
    Assim é que é.
    Cidadania acima de tudo.

  3. Vem ventura.. que aqui tens muito que fazer.
    Primeira coisa é por na linha a PSP, que anda escondida.. e deixa q a cidade esteja entregue aos bichos..

  4. Os lordes ingleses com assento na câmara alta do parlamento britânico (equivalente ao senado nas outras repúblicas com dois parlamentos) não são eleitos, mas herdeiros do seus antepassados. Daí a sua liberdade de palavra e de ação. Não dependem do voto popular.
    Dizem usualmente esses parlamentares de sua majestade britânica que aos pobres nunca convém dar dinheiro ou outras benesses, porque partem tudo, sujam tudo e fazem demasiado barulho.
    São naturalmente uns reacionários do piorio, mas estão cheios de razão, como mais uma vez se comprova.

  5. Isto demonstra que a lei em Tomar não é igual para todos, no passado dia 11/09/2020 pelas 22h30 a minha habilitação foi vesitada pela polícia a pedir para fazer menos barulho que recebeu uma reclamação de um vizinho. Não é preciso dizer que tive que obedecer pelo meu ato. Será que existe outra forma de não acatar as autoridades, aonde se encaixa a descriminação?.

  6. Quem tem de fiscalizar o barulho é o município… e têm de ir lá com um aparelho, aquilo tem de cumprir certos requisitos técnicos, não é à balda, e depois de sabe-se lá quanto tempo a fazer a monitorização é que podem determinar efectivamente que é barulho a mais… depois resta determinar quem exactamente está a criar o barulho, para depois eventualmente tentar multar e por aí em diante, e se no dia seguinte repetirem, tem de repetir-se tudo, porque não podem multar só com o ouvidómetro tem de ter perícia técnica a comprovar cada acusação.

    A probabilidade de acabarem com o barulho é nenhuma, mais vale assumirem já a derrota e irem-se embora para outro concelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Suplemento Fugas dedica sete páginas a Abrantes

Tomar em destaque na revista Sábado