in ,

Festa dos Tabuleiros: cerca de 1650 crianças no “Cortejo dos Rapazes”

Neste domingo, 30 de junho, acontece em Tomar o chamado “Cortejo dos Rapazes” com a participação de cerca de 1650 crianças das escolas e jardins de infância do concelho.

O objetivo é incutir nos mais pequenos o espírito da Festa dos Tabuleiros, uma tradição secular vivida com intensidade pelas gentes de Tomar.

A abrir o cortejo vai estar o grupo dos Miminhos do CIRE (18 crianças), seguido dos meninos da Quinta dos Encantos, Academia dos Sonhos, Jardim de infância da Gualdim Pais e o chamado grupo da comissão (filhos de pais tomarenses mas que residem fora). Seguem-se os grupos maiores que vêm do CAST – Centro de Assistência Social, Jardins escola João de Deus I e II, e dos agrupamentos, primeiro o Templários (cerca de 700 crianças) e depois Nuno de Santa Maria (cerca de 600).

O “Cortejo dos Rapazes” sai às 10 horas de domingo da Mata dos Sete Montes, desce a av. Cândido Madureira, praceta Alves Redol, rua Everard (Levada), rua Serpa Pinto (Corredoura), praça da República (onde se procede à bênção dos Tabuleiros), saindo depois pela rua Infantaria 15, av. Cândido Madureira e regresso à Mata dos Sete Montes.

O cortejo abre com o pendão e as coroas do Espírito Santo transportadas por crianças, o grupinho de gaiteiros (o que acontece pela primeira vez), os fogueteiros e depois os pares de crianças com tabuleiros (entre 500 a 600) ou cestinhas. A finalizar o cortejo, surge o Bodo com os vitelos e as padiolas. A padiola do pão foi feito pelo agrupamento Templários, a da carne pelo jardim escola João de Deus e a do vinho pelo agrupamento Nuno de Santa Maria.

As quatro bandas filarmónicas do concelho (Nabantina, Gualdim Pais, Pedreira e Payalvense) que atuam intercaladamente no cortejo, participam graciosamente. O grupo Sonae através do hipermercado Continente oferece, no final, os lanches às crianças.

 

Escrita por Redação

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

A festa, o protagonismo e o essencial

Roteiro das festas populares