in ,

Camião destrói banco no Flecheiro

Ao fazer uma manobra numa zona pedonal no Flecheiro (rua do rio Nabão), um camião com uma grua destruiu um banco de jardim. O caso aconteceu esta semana e foi registado em imagem por um morador.

A viatura estava ali para uma operação de retirada de cabos elétricos. Ao aperceber-se do acidente, o camionista foi-se embora na viatura.

Escrita por Redação

Comentários

Leave a Reply
  1. A condutores da estirpe do toca e foge e não assumem as suas responsabilidades, devia de lhes ser aplicada uma valente multa( infracção mto grave e 500€ de multa) e a inibição de conduzir por um tempinho valente

  2. Sim, quem destrói património ainda que involuntariamente deve ser responsabilizado e penalizado. Claro que está afirmação se aplica não só ao caso do condutor da grua móvel no Flecheiro mas a todos os políticos que têm (des)governado Tomar nos últimos 45 anos e delapidado seu potencial de crescimento e sustentabilidade económica. Mas se o condutor da camionete fugiu, estes últimos senhoritos passeiam-se descaradamente pela cidade.

    • Bem vistas as coisas, é tudo a mesma gente. A mesma mentalidade. Todos pensam lá bem no íntimo que os contribuintes pagam tudo e ainda batem palmas de quando em vez. Veja-se o caso da sra. que está na câmara. Há anos que não se constrói um prédio para habitação em Tomar. Há anos que as reabilitações de imóveis ou são pagas pela autarquia e destinam-se a alojar ciganos, ou são para alojamento turístico. Há anos que a população está a diminuir. Há anos que os lugares de estacionamento se vão reduzindo. E assim sucessivamente.
      Pois mesmo assim há festas e mais festas, e a dita senhora e respetiva camarilha estão todos convencidos de que estão a fazer um excelente trabalho. Por outras palavras, acham que os eleitores são tão burros que nem entendem bem a situação. E neste ponto é bem possível que tenham razão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Necrologia

Sugestões para o “Halloween”