in ,

Câmara do Entroncamento manda demolir mamarracho com quase 20 anos

Quem atravesse a cidade do Entroncamento não pode deixar de reparar no esqueleto de um prédio de três andares junto ao centro de saúde e ao viaduto, um edifício construído nos terrenos da antiga sede do Grupo Desportivo dos Ferroviários, no centro da cidade.

A obra começou em 2004, mas foi embargada no final de 2005 por terem sido verificadas várias irregularidades. E assim permaneceu durante todo este tempo, com o processo a rebolar nos tribunais e uma série de indefinições pelo meio.

Esta semana, a câmara do Entroncamento decidiu dar seis meses ao proprietário, um banco, a demolir a estrutura do prédio. “Estamos agora finalmente em condições de poder ordenar a demolição daquele edificado construído de forma totalmente ilegal”, disse o presidente da câmara, Jorge Faria.

Henrique Leal, vereador do Bloco de Esquerda concordou “que se ponha um travão ao fantasma ali ao lado da linha do caminho de ferro, que não abona em nada a imagem do Entroncamento”. Argumentou ainda que se trata “até de uma questão de saúde pública”.

O vereador do PSD, José Miguel Baptista, que chegou a morar nas proximidades do “mamarracho”, classificou-o de “mausoléu”.

Escrita por Redação

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Mais um “achado” do PS-Tomar: Turismo de laboratório

Escola de condução Nova Tomar “desapareceu”