in ,

Câmara assina contrato de 73.500 euros com jornal Cidade de Tomar

A Câmara de Tomar assinou um contrato com a empresa editora Cidade de Tomar, Lda. no valor de 73.500 euros + IVA para “aquisição de serviços de publicação de anúncios e editais/avisos em jornal local e/ou regional”.

O prazo de execução é de 1095 dias, ou seja, três anos.

O contrato foi assinado a 26 de setembro.

 

Escrita por Redação

Comentários

Leave a Reply
  1. É um contrato obviamente sem segundas intenções.
    Destina-se só a tentar salvar o mais velho semanário nabantino ainda em atividade, há muito a debater-se com dificuldades de tesouraria. E com pelo menos um calote avultado a uma tipografia local, cujo encerramento parece estar próximo.
    Com validade até 2022, entra já pelo próximo mandato, que pelos vistos a atual maioria considera estar no papo.
    Então e a independência editorial, uma vez que a câmara também já tem um contrato semelhante com a Rádio Hertz? Ora ora! Quem é que se preocupa com esse detalhe, sem qualquer importância num concelho de eleitores mudos, quietos e acomodados?
    Viva a informação municipalizada!

  2. Só nos faltava mais esta!
    Uma câmara de maioria socialista a salvar um jornal conservador e retrógrado, fundado entre outros pelo mais tarde general Oliveira, director da polícia política, comandante da legião e salazarista convicto.
    Dantes, fenómenos só no Entroncamento. Agora, por esta amostra, também já temos em Tomar.

    • Amigo, Eu não conheci o General Oliveira e muito menos sou Tomarense, mas de uma coisa tenho a certeza, se for estudar a História sobre Tomar, este Homem (General Oliveira) foi quem e até á presente data, quem mais fez por Tomar e defendeu os interesses dos Nabantinos. Ás vezes convém ler um bocadinho da História Portuguesa.

      • Francamente não consigo entender este seu comentário.
        O que tem a ver uma coisa com a outra? Não me parece ter escrito que o general foi má pessoa, ou que nada fez por Tomar. Limitei-me a lembrar alguns cargos que exerceu e acrescentei que foi um salazarista ferrenho. Algo do que escrevi é falso?
        Parece-lhe normal que uma autarquia de maioria PS faça um contrato de prestação de serviços COM PAGAMENTO ADIANTADO, para salvar da falência um semanário conservador e retrógrado, fundado pelo general Oliveira, entre outros direitistas da cidade?

        • Não vejo qualquer lógica neste comentário. Vejo um contrato para prestação de serviços, normalíssimo, com um jornal muito importante para o concelho de Tomar. Alguma vez um contrato de 73 mil euros salvam alguma empresa, migalhas?? A vontade de dizer mal…

          • Quando tiver vagar, indique por favor onde mora e onde vai depositar o seu lixo doméstico. Para eu poder aproveitar as migalhas de que fala.
            Dito, a situação da EECT é tão aflitiva que calhando nem com esta esmola se consegue safar.
            São muitos anos de má gestão. São muitos calotes.

  3. Então e O Templário, não come nada? A Isabel não se porta como devia ser? Ainda? Vejam lá isso, porque senão começa a dar muito nas vistas.
    Isto para não abordar a fundo o problema do administrador aqui do blogue. Quando é que o executivo municipal resolve finalmente cumprir a Lei, readmitindo-o? Ou quem não é da cor não tem direito ao emprego, nem ao cumprimento da Lei?

  4. Se você fizesse o favor de se deixar de tretas, e nos explicasse como é que a Hertz conseguiu essa parceria, o pessoal era bem capaz de perceber e evitava de perder tempo com balelas. Vamos a isso?

  5. Também o Politecnico a partir de certa altura (desde os idos 2006) só enviava anúncios e publicidade para o Cidade de Tomar. É o que temos: uma cidade empobrecida, sem ideias e vergada a grupos de oportunistas que só pretendem manter os lugares obtidos de favor.

  6. Parece que isto faz parte dos novos tempos:
    Primeiros ministros que num passado recente tentaram controlar grupos de comunicação social ” https://observador.pt/especiais/como-socrates-tentou-controlar-a-comunicacao-social/
    Mais recentemente um rograma na televisão pública “Sexta às 9” suspenso durante a última campanha eleitoral “https://www.sabado.pt/vida/detalhe/rtp-diz-que-sexta-as-9-vai-voltar-mas-so-depois-das-eleicoes”;
    Puras coincidências!

    • Tem razão. Mas não esquecer que as forças políticas de direita controlam por dentro toda a informação e conteúdos: pois se são eles os donos, isto é, os que pagam os ordenados dos jornalistas!

  7. João Agulha,
    Não sei se está a referir-se a nível nacional se apenas local!?
    A nível local desconheço já a nível nacional é público,por exemplo, que um dos fundadores do PSD – Pinto Balsemão é presidente de uns dos maiores grupos de imprensa – Grupo Impresa, contudo na campanha para as últimas legislativas foi notório e por demais evidente que foi esse mesmo grupo que mais atacou Rui Rio candidato pelo PSD a começar pelas sondagens que apontavam para uma percentagem na ordem dos 20%., passando pelo painel de comentadores políticos, etc…
    Se isso faz apenas parte da guerrilha interna do partido não sei, agora os factos foram por demais evidentes.
    Portanto vale o que vale a sua afirmação perante factos concertos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Projeto para a margem esquerda do rio no mercado prevê passagem debaixo da ponte

Ex-autarca comemora 90 anos entre amigos