in ,

Automobilistas utilizam ciclovia do Prado

Desde que começaram as obras de abastecimento de água na estrada do Prado, alguns automobilistas circulam e ocupam parte da nova ecovia Prado – Arrascada para fugirem ao pavimento em terra.

Para a colocação das tubagens, o empreiteiro está a abrir uma vala ao longo da estrada que depois é tapada, estando nesta altura em terra batida e com alguns buracos.

No troço em obras e como alternativa alguns automobilistas utilizam a ciclovia para circular colocando em risco atletas, caminheiros e ciclistas.

Ao “Tomar na Rede” chegaram algumas imagens ilustrativas deste problema.

 

Proponha uma correção, sugira uma pista: 

Envie fotos e vídeos para ou por aqui

Escrita por Redação

Comentários

Responder
  1. Como colocam os atletas e os ciclistas em risco, se na maioria do tempo a via está completamente livre, conforme aliás é bem visível na foto!!?
    Este deveria ser um site de Informação( para informar) e não um site onde se lança a confusão e a intriga para a comunidade

    • Quando puder, mude o seu pseudónimo para “Tomarense mal disposto e exagerado”. Não me parece aceitável que se diga de um blogue de grande audiência que é “um site onde se lança a confusão e a intriga”. A notícia, ou a redacção da mesma, não lhe agrada? Está no seu direito. Mas é um claro exagero aproveitar para caluniar o Tomar na rede.
      Tem dúvidas? Então tenha também a bondade de apresentar aqui pelo menos um caso em que este blogue tenha lançado a confusão, e outro em que tenha usado a intriga. Pode ser? Ou escapou-lhe o vómito?

      • Não é intenção ofender seja lá quem for…. Mas ás vezes certas noticias, por amor deus…
        As minhas sinceras desculpas se ofendi, não é essa a intenção…

  2. Quem chama ciclovia aquilo deve ser mais um parvinho que nunca saiu da terriola. Uma ciclovia deve estar com desnível em relação à via ou ou com barreiras fixas. Enfim dar nomes a obras mesquinhas.

  3. Trata-se de um caso de “horror ao vazio”. Se ninguém usa ou só usa muitíssimo raramente aquela faixa, outros aproveitarão o espaço. O que aqui está em causa é para quê e para quem se fez tal investimento? Oxalá não aconteça o mesmo com a Várzea Grande. O mesmo se diga sobre as obras paivianas/pólis no campo de futebol, parque de campismo. Em Tomar os investimentos públicos são para inglês (turista) ver. Depois queixem-se.

  4. Quando são bois estremalhados de duas patas a correrem pela estrada como se fosse uma pista de atletismo ninguém estrebucha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Convento de Cristo perdeu 68,4% dos visitantes

Arranjo da estrada da Serra entregue à empresa da Várzea Grande