PolíticaDestaque

Um mês depois, Provedor do Munícipe ainda não tomou posse

- Publicidade -

Eleito na sessão da assembleia municipal de 28 de abril, o Provedor do Munícipe de Tomar continua sem tomar posse, ato que deve ser feito perante os presidentes da câmara e da assembleia.

José Pereira (PS) foi eleito na reunião de câmara do dia 6 de fevereiro, e depois aprovado na assembleia municipal de 28 de abril com 16 votos a favor, 15 contra e 1 abstenção.

Já passou mais de um mês e não há qualquer informação sobre a tomada de posse, onde vai funcionar, quais os dias de atendimento, como pode ser contactado, etc.

Com 74 anos, Zeca Pereira, como é conhecido, é militante e dirigente do PS. Professor aposentado, além de ter presidido à assembleia municipal, foi presidente da associação Canto Firme, da Associação dos Forcados Amadores de Tomar e da Liga dos Amigos dos Bombeiros e membro da Comissão Central da Festa dos Tabuleiros.

A criação da figura do Provedor do Munícipe era uma promessa do PS desde há 10 anos.

- Publicidade -

Zeca Pereira (PS) eleito Provedor do Munícipe

- Publicidade -

1 comentário

  1. “CA GANDA CHATICE” !
    Coisa aliás que até é capaz de tirar do sério o deputado da alheira que se ri nas costas do senhor provedor.
    Valha-nos Deus!
    Então e agora andam os munícipes de um lado para o outro sem saber onde ou a quem se dirigirem para verem os seus interesse e direitos devidamente providos.
    Ou valha-nos o Divino Espírito Santo que, não fora a presidenta ser assumidamente anticlerical e anticatólica, de certezinha absoluta lhe havia de aparecer quando fosse a levar a coroa do dito espírito na cabeça do cortejo na festa religiosa dos tabuleiros.
    É só azares para este pobre povo.
    E então agora que, tudo o indicava, íamos ficar mesmo desenrascados, sabendo que à mínima ignomínia do PS da câmara nos podíamos queixar ao PS provedor.
    Caramba! Dêem lá posse ao homem para que ele possa dizer que ainda exerceu mais um cargo!
    Mas todos sabemos porque é que não dão.
    É para que não se note e não se saiba que dar-lhe posse e ele exercer o gargo… não se nota nada, dada a inutilidade disso.
    É que estar “lá” (não sabe bem onde), o senhor provedor ou um bidon vazio, é mais ou menos a mesma coisa.
    Sem desprimor para o sr. provedor ou para o bidon, bem entendido.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo