DestaquePolítica

Tomar continua a perder eleitores: menos 919 do que nas últimas autárquicas

De janeiro a junho deste ano, Tomar perdeu 136 eleitores, segundo os dados publicados no Diário da República de 17 de junho. Mas se compararmos com as últimas eleições autárquicas, de 2017, a quebra foi de 919 eleitores.

Para as presidenciais de janeiro deste ano estavam inscritos em Tomar 34.031 eleitores, enquanto que para as próximas eleições autárquicas são 33.895, segundo dados do Ministério da Administração Interna.

Do total de eleitores recenseados em Tomar nesta altura, 33.740 são cidadãos nacionais, 80 da União Europeia e 75 são outros estrangeiros residentes no concelho.

tomardrive banner728x145 7h 24h agosto 2021

São estes os números que vão constar nos cadernos eleitorais das autárquicas marcadas para 26 de setembro.

 

Nº de eleitores nas freguesias do concelho de Tomar – junho 2021

Asseiceira2.375
Carregueiros974
Olalhas1.169
Paialvo1.998
São Pedro de Tomar2.434
Sabacheira879
União das freguesias de Além da Ribeira e Pedreira1.090
União das freguesias de Casais e Alviobeira2.455
União das freguesias de Madalena e Beselga3.254
União das freguesias de Serra e Junceira1.740
União das freguesias de Tomar (São João Baptista) e Santa Maria dos Olivais15.527

 

Nº de eleitores nos concelhos do distrito de Santarém – junho 2021

ConcelhoNº eleitores
Abrantes31.614
Alcanena11.710
Almeirim19.557
Alpiarça6.254
Benavente24.351
Cartaxo20.598
Chamusca7.660
Constância3.309
Coruche15.838
Entroncamento16.966
Ferreira do Zêzere6.938
Golegã4.859
Mação5.862
Ourém40.801
Rio Maior17.692
Salvaterra de Magos18.885
Santarém50.828
Sardoal3.197
Tomar33.895
Torres Novas30.745
Vila Nova da Barquinha6.200

Resultado do recenseamento eleitoral à data de referência – dia 15 de junho de 2021 (Data do encerramento dos cadernos para as eleições autárquicas)

 

Número de eleitores inscritos no recenseamento eleitoral

Tomar perdeu quase 300 eleitores desde as últimas eleições

1 comentário

  1. Está tudo bem, a crer nos discursos dos responsáveis, dos autarcas em particular.
    Este assunto, da diminuição de eleitores, e de população residente, é apenas por eles ignorado.
    Tentam que nao exista, para não ser reconhecido.
    Mas é grave. Um concelho que perde população é um concelho doente no seu âmago, é um concelho em que algo está muito mal.
    Um concelho que perde população, e onde a que resta está a envelhecer, é um concelho condenado a definhar, a perder qualidade, porque as condições de vida estão a degradar-se.
    É um concelho que não é capaz de gerar empregos para a sua população, porque não é atraente para as empresas. São elas que geram empregos e riqueza.

    Enquanto os nossos autarcas, a presidente da câmara em especial, não mostrarem capacidade para assumirem esse desafio, de atrair empresas, e investimentos capazes de gerar empregos com valor, o declínio demográfico, e a degradação económica, não vão parar.
    Podem vir mais obras e mais festivais, mas nada muda.
    Não são medidas avulsas que podem mudar este declínio.
    Só a posse de uma ideia ambiciosa para guiar a administração de Tomar, que esteja ancorada num plano de desenvolvimento coerente e em projetos empresariais atraídos e contratados, pode salvar Tomar de se tornar numa cidade irrelevante, onde será cada vez menos fácil viver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.