in ,

Câmara vai construir nova ponte entre Várzea Pequena e Mouchão

Mouchão. Foto de DroneXtreme.HD

A construção de uma nova travessia entre a Várzea Pequena e o Mouchão foi um dos temas abordados na reunião da câmara de Tomar do dia 5.

O PSD, através do vereador José Delgado, anunciou que a sua bancada iria apresentar uma proposta de construção da nova ponte com os objetivos de “melhorar as condições de mobilidade”, “permitir que acessos sejam mais fáceis” e “reforçar a segurança criando uma nova saída de evacuação, de emergência”.

Uma proposta que, pelos vistos, vai ao encontro das intenções da maioria PS que gere os destinos da câmara. A presidente da câmara anunciou que já era intenção lançar um concurso para a nova travessia a contemplar no orçamento de 2020. Acrescentou que “até é possível que haja um privado que financie parte do investimento”.

A autarca garantiu que a futura ponte vai ter pouco impacto e, em jeito de brincadeira, disse que não iria ter portagens.

Atualmente existe um passadiço entre a av. Marquês de Tomar e o Mouchão quer permite acesso automóvel e uma ponte pedonal a ligar à zona desportiva, além do açude real.

 

Escrita por Redação

Comentários

Leave a Reply
  1. Se a Câmara Municipal de Tomar construísse uma nova ponte a sul do Flecheiro e uma ligação até à rotunda do Continente, prolongando assim a “Avenida do Hospital”, trazia outra vida à cidade e maior segurança.

  2. A falta de cultura política desta gente é mesmo confrangedora.
    Por “esta gente” digo todos (“oposição” e PS), e por cultura política quero dizer um mínimo de ideia do que hão-de estar para ali a fazer.
    Na falta dessa tal “ideia” todos actuam fazendo ou propondo que se faça aquilo que acham que todos também querem que se faça. O resultado é mesmo isto: propõe-se ou faz-se aquilo para que não há oposição ou ideia contra que se conheça.
    Tendo uns dinheiros para gastar – dinheiro que seria mais bem empregue se tivesse ficado no bolso do cidadão a quem foi sacado – vai-se “torrar”, não em necessidades reais, mas em coisas que “estão a dar”.
    Podíamo-nos perguntar: que real necessidade há mesmo para essa tal ponte? O que é que não se faz que poderia ser feito se já houvesse a ponte? Nada!
    Mas atafulhar a cidade, principalmente na zona mais antiga que foi herdada assim bonita de construções e construçõezinhas que para mais não servem do que suporte à placa onde se há-de dizer quem da edilidade as mandou fazer. Pobreta, medíocre e tacanho.
    Essa falta de cultura, planeamento e “saber o que fazer” está já patente ali para os lados do flecheiro com duas pontes paralelas. Mas vai-se fazer mais. Porque o que interessa mesmo, não é resolver os problemas dos munícipes, é “fazer obra”.
    Já pensaram em perguntar aos munícipes sobre as reais necessidades deles. Ou das que eles obviamente conheçam?
    Não lhes passa isso pela ideia, pois não?
    Que tal uns passeios em Carvalhos de Figueiredo?
    Se calhar nunca tinham reparado que faziam lá falta.

  3. Nem mais. Ou em alternativa ligar a rotunda à entrada de Tomar à rotunda de nenhures que fica na estrada para Marianaia. Já tirava, seguramente, muito trânsito à Av. Nuno Álvares Pereira.

  4. Aposto que vai ser entre o hotel e o estádio junto à piscina. Há muito tempo que oiço falar duma ligação do hotel à zona desportiva, principalmente por causa das acções de formação de árbitros que ali se realizam. Vão dar cabo do açude e destruir o equilíbrio do espelho de água envolvente do Mouchão. Coitado do Mouchão, tão mal tratado tem sido ao longo dos tempos. Provavelmente ainda serei viva para ver cortarem os plátanos. É só inventarem-lhes uma doença qualquer!!!
    Volta, Lino Cotralha, estás perdoado.

  5. acho muito bem so peca por ser tardia. os contribuintes da zona norte da cidade tambem pagam impostos.so acho que deveria ser um pouco mais a norte como por exemplo direção a fabrica da fiação.

  6. Já agora, uma perguntinha a propósito.
    Acham que é possível acabar-se aquela obra de 40 metros de pavimento de estrada, ali junto aos ciganos na Avenida Nuno Àlvares Pereira, anda esta década?
    Eu sei que é pedir muito, mas confesso que gostava de ver essa prova de dinamismo nesta edilidade.

  7. Isto é uma forma de gastar dinheiros públicos numa inutilidade pública. Não esquecer o estudo do impacto ambiental, estão a destruir uma zona natural que vai sofrer uma alteração violenta na zona.

  8. A Câmara Municipal de Tomar, e o Partido Socialista, sempre na vanguarda das prioridades sociais.

    Parabéns por outro sucesso no que toca às prioridades de um concelho onde falta investimento essencial para o desenvolvimento económico e social é inexistente.

    Agora que estão satisfeitas todas as necessidades, onde se assiste ao nascimento de postos de trabalho, fábricas e serviços, um politécnico com uma taxa de ocupação de 100% (e com lista de espera), médicos e postos de saúde em todas as localidades, e claro, um crescimento demográfico superior a 10%.

    Sem falar no superavit orçamental, na inexistência de dívida pública e prazo de pagamentos próximo de zero dias (aliás, creio até, com pagamentos antecipados a trabalhadores e fornecedores).

    Estamos então em condições de construir uma terceira travessia para o Mouchão, que de resto, já se sabia, é indispensável para o progresso do município.

    Agora que temos o problema da falta de habitação social resolvido, temos uma Várzea Grande que faz sombra ao Terreiro do Paço, e já não pagamos renda por não termos edifícios para albergar os serviços da Câmara Municipal, agora sim, é hora de se construir essa promessa de desenvolvimento que é outra ponte para o Jardim porque, de facto, as migrações de portugueses para Tomar, desejosos de poder usufruir desta cidade modelo da gestão autárquica, já fazem os acessos existentes para o jardim do Mouchão serem escassos.

    E os serviços de saúde? Do melhor que há, equaciona-se até construir um aeroporto tal é a horda de turismo de saúde que diariamente chega a Tomar, passando pela notável obra de arquitectura que é a gare de comboios (especialmente a dos autocarros).

    Em Tomar não se vive, todos pensam que já morreram porque estamos perante o paraíso, e tudo graças às sábias escolhas do Partido Socialista e também, sejamos justos, do PSD.

    De facto para isto ficar ainda melhor, não estou a ver mais nada senão mais uma ponte para o jardim mais bonito, florido e aprazível do mundo.

    Parabéns aos eleitores que votaram, e continuam tão bem, a votar nestes partidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 comentários

Parabéns!

Empresário que morreu em acidente de moto 4 vai hoje a sepultar